sexta-feira, 1 de abril de 2016

Segundo dia da novena ao Sagrado Coração de Jesus pedindo graças, e a beatificação da Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola


Segundo dia


Oração pela beatificação  (Com aprovação eclesiástica)

Composta por Padre Paulo Dionê Quintão, seu diretor espiritual nos últimos anos, e aprovada por D. Luciano Mendes de Almeida, quando Arcebispo de Mariana (MG).


Deus Pai, que revelastes as maravilhas do Reino aos pequeninos, nós Vos agradecemos pelos tesouros de virtude e sabedoria que em vida concedestes a Vossa filha Floripes Dornelas de Jesus, Lola.

Nós Vos pedimos, pela força do Vosso Espírito, exaltai sua humildade elevando Vossa fiel serva à honra dos altares.

Concedei-nos a graça da oração e total confiança no Sagrado Coração de Vosso Filho e na proteção materna de Maria, para que o maior número de pessoas possa tê-la como intercessora e modelo de vida cristã. Amém.   




Início do apostolado

 Na sua condição de paraplégica, Lola se exercitava dia a dia, para estreitar o seu relacionamento com Deus. E quanto mais o fazia, menos necessidades materiais tinha, a ponto de não precisar mais de alimento ou de água; tinha como único alimento para o corpo e para a alma, o próprio Deus na Eucaristia.                

Viveu cerca de sessenta anos tendo como único alimento a Sagrada Eucaristia. Também não tinha necessidade do sono.

Sofreu ao constatar isso, principalmente ao ver o sofrimento de seus familiares, especialmente o de sua mãe, diante  de sua rejeição ao alimento. Pensavam que fosse morrer. Ela também supunha que isso fosse acontecer, mas o que ocorreu foi justamente o contrário. Sua vivacidade e perspicácia aumentavam substancialmente, e ela passou a ajudar a muitas pessoas, que vinham a sua casa para pedir suas orações e suas palavras de sabedoria e de conforto.



Manifestação de santidade

Dona Tereza Martins Rocha conta que, assim como suas irmãs, Dona Didi, recém falecida, e Dona Ilza, quando meninas, eram vizinhas da Lola; e que elas estavam sempre próximas à Lola, especialmente quando ela começou a rejeitar alimentos. Elas ficavam no quarto com a Lola, e quando sua mãe trazia a comida uma delas a comia, após a saída da mãe. Assim, por  algumas vezes, guardaram Dona Deolinda (mãe da Lola) da preocupação com a falta de alimento da filha.

 Foi o pai delas, o Sr. Antônio Vitorino Martins, quem deu à Lola a imagem do Sagrado Coração de Jesus que hoje fica na Igreja de São Manoel em Rio Pomba. Tal fato aconteceu na época em que ela recebeu ordens do Sr. Arcebispo, Dom Oscar de Oliveira, para não receber mais os peregrinos, que vinham, aos milhares, à sua casa pedir orações. Lola considerou que o presente era obra do Sagrado Coração de Jesus e estabeleceu que "toda pessoa que pedisse uma graça contemplando aquela imagem, considerasse que ela estaria junto, endossando o pedido.   Que o Sagrado Coração de Jesus o considerasse como um pedido dela, a Lola.

Outro fato contado por Dona Tereza é que seu pai, Sr. Antônio,  quando adoeceu com câncer, graças às orações da Lola, o Sagrado Coração de Jesus concedeu-lhe a graça de não sentir nenhuma dor, até sua morte.



Oração

Sagrado Coração de Jesus, que tornastes a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, tão próxima de Vós  a ponto  de receber diretamente de Vós  tudo o que necessitasse para o corpo e para alma, concedei que, assim como fez tantas vezes nesta vida, para tantas pessoas, ela obtenha de Vós a graça que necessito. 

‘Tudo por Vós, ó Sagrado Coração de Jesus!”


Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário