sábado, 15 de dezembro de 2018

Oração do Papa Bento XVI para o Advento.



“Vinde Jesus; vinde e dai poder à luz e ao bem; vinde para onde a falsidade, a ignorância sobre Deus, a violência e a injustiça predominam. Vinde Senhor Jesus, dai poder ao bem do mundo e nos ajudai a sermos portadores da Vossa luz, pacificadores e testemunhas da verdade. Vinde, Senhor Jesus!”

sábado, 8 de dezembro de 2018

Natal




Amor imenso cabe num sorriso, 
Mar de ternura  cabe num olhar.
Mas nem você, nem eu, ninguém diria,
Que Deus, no colo virgem de Maria,
Põe numa gruta todo o Paraíso,
Da manjedoura faz sublime altar

Imensa dor a lágrima enclausura…
Já na semente a flor está no fundo.
Mas nem você, nem eu, ninguém sonhava:
Deus ter por mãe quem quis ser sua escrava.
E a mulher, com maternal ternura, 
Suster nos braços Quem carrega o mundo…

Você não vê a brisa suave e mansa…
Todo perfume, a gente apenas sente.
Mas tal ideia, quem  de  nós a tinha?
Um Deus chamar “mamãe" uma mocinha;
E a gente ver num rosto de criança,
Toda bondade e amor do Onipotente…

Se Deus põe todo o seu amor divino
No coração, assim,  de uma criança…
Nas mãos fofinhas deste pequenino
Vou por meu ser, vou por minha esperança!…


                Letra da Canção de Natal, de Pe. Lúcio Floro.


sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Primeira Sexta-feira de Dezembro






"Voz do Mestre. – O vosso amor generoso Me consola… Sinto-Me confortado com a vossa promessa… Ouvi, ainda, ó filhos amados, um desejo do vosso senhor e vosso Deus… 

Peço-vos que a primeira sexta-feira de cada mês seja especialmente dedicada a consolar-Me. Nesse dia quero sentir-vos perto do meu Coração Divino, e encher-vos das graças que reservo às almas mais fiéis, aos meus melhores amigos. Que neste dia de amor e zelo, de reparação e de conforto, Me seja consagrado com ternura filial; celebrai-o, publicando os meus louvores com fervor especial… 

Ó vós que sois admitidos especialmente à minha intimidade, vinde comungar na primeira sexta-feira do mês; vinde visitar-Me com o amor dos Serafins na minha Eucaristia… Ocupai o lugar de João, meu discípulo amado, e falai-me como Margarida Maria, minha venturosa  confidente. Então, silenciosos e recolhidos, repousai a cabeça sobre o meu Coração, aquecendo vossa alma ao calor da minha caridade. 

Falai-me das vossas penas e dos vossos interesses. Falai-Me daqueles que vos são caros, dos que me são fiéis, dos que Me afligem. Contai-Me os vossos desejos de santidade, a vossa ambição da minha glória, as vossas misérias, penas e fraquezas: abri-Me inteiramente a vossa alma. 

A primeira sexta-feira do mês será um dia de graças até a consumação dos séculos…
Aproveita-a largamente em favor do vosso lar e dos pecadores. Neste dia, intercedei pelos meus sacerdotes e meus apóstolos; pedi que eles sejam santos e santifiquem as alamos a eles confiadas. E, agora, ouvi a minha palavra: será ela um penhor de uma recompensa infinita.

No excesso da minha misericórdia, prometo a todos os que comungarem durante nove primeiras sextas feiras consecutivas a graça da penitência final; não morrerão em minha desgraça, nem sem receberem os Sacramentos, e na última hora lhes darei um seguro asilo no meu Coração.

Que respondeis, ó amados filhos, a esta promessa, que se diria esgotar a minha onipotência, dando-vos o meus Coração para o tempo e para a eternidade?


Uma das meditações para o mês de dezembro, do livro”Hora Santa”, do Padre Mateu Crawley-Boevey SS. CC. Editado e distribuído gratuitamente pela Serva Deus Floripes Dornelas de Jesus, mais conhecida como Lola.  Saiba mais sobre ela: 



sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Oração da Divina Mão Poderosa


Pedindo sossego do espírito e do corpo, para si, 
e para toda a família.



Aqui venho, Senhor, com a fé de uma alma cristã, a procurar a vossa misericórdia em situação tão angustiante para mim.

Peço-Vos, Senhor, não me desampareis!

Que a vossa Mão Poderosa abra todas as portas da minha casa para entrar a saúde, a paz e as boas amizades para mim e todos os da minha família. 

Senhor, com a vossa Divina Mão Poderosa fazei entrar para a minha casa, paz, tranquilidade, prosperidade, sossego de espírito e de corpo, que eu tanto necessito e anseio para mim e os meus.

Aqui, aos pés deste quadro de Vossa Divina Mão Poderosa, deixo eternamente estas minhas súplicas, que, com todo empenho vos peço e rogo, com o coração cheio de confiança e fé em ser atendido.

Divina Mão Poderosa, Mão  Chagada, Mão Sagrada, livrai-me de todos os meus sofrimentos, de todas as minhas necessidades, de todas a minhas ânsias e tribulações nesta vida.

Meu Senhor Jesus Cristo, pelo Amor de Deus Pai e da Virgem Santíssima, vos peço que façais cair com todo o vosso perdão, a vossa Divina Mão Poderosa sobre todos os meus inimigos, visíveis e invisíveis, sobre todas as pessoas invejosas que me desejam o mal. Amém! 

P.S. Recomenda-se fazer uma novena desta oração.

Representante da Justiça sob Suspeição, pela próprias palavras.







Causou vergonha,  ouvir o discurso do ministro Dias Toffoli  proferido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ontem, 28/10/2018, após a definição do resultado do segundo turno para a Presidência da República.

Ele exige de Bolsonaro tudo o que nos foi cerceado durante o governo do seu partido: liberdade de expressão, liberdade religiosa, direito de pensar e manifestar o pensamento contrário ao que o establishment queria impor. 

O STF nunca se manifestou contra a  falta da liberdade de expressão que acontecia dentro das universidades, onde quem não fosse de esquerda só tinha o direito de sofrer bullying. Ainda é assim.

O governo do partido a quem ele sempre teve atitude servil, impôs uma patrulha ideológica à grande maioria da população  que, ontem, se declarou livre dela.

O senhor ministro, com base no que tem manifestado ao longo da sua vida pública, assim como outros ministros que compõem  a corte do STF, não tem cacife moral para querer pautar o comportamento do novo presidente, eleito numa situação em que tão claramente recebeu o poder do povo; tendo vencido o establishment, com todos os que se consideram tão poderosos. 

Bolsonaro venceu a eleição tendo a seu lado os únicos que realmente têm força e poder: Deus e o povo. Ontem, ficou provado que as outras forças vigoram somente nas narrativas que a “grande imprensa” quer que acreditemos.

O povo que elegeu Bolsonaro,  e que observa tudo, muito mais do que certas autoridades gostariam, também pode “aconselhar’ o senhor ministro: recolha-se às sua obrigações Excelência, seria muito  mais produtivo  para  o Brasil se o STF se restringisse a  cuidar da observância das nossas leis,  não as interpretando subjetivamente segundos os interesses filosóficos, políticos ou  particulares dos mesmos ministros.

Quanto ao presidente, nós, o povo que o elegeu, é que temos autoridade para exigir o que consideramos importante e para avaliar a sua futura administração.  

Caso ele se comporte contra as nossas leis, o destituiremos do poder  tal qual o fizemos com os líderes de sua Excelência. Essa mesma atitude pode ser, também, utilizada com todas as autoridades constituídas  a partir do poder outorgado por nós. Sua Excelência sabe, melhor do que qualquer um de nós, que esse direito nos é assegurado  nas leis que compõem a nossa Constituição, as mesmas que dizem que nós, o povo brasileiro, somos e seremos a autoridade humana máxima em nosso País. Acima de nós, só Deus.


quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Identidade cristã



Irmãos, eu dobro os joelhos diante do Pai, de quem toda e qualquer família recebe o seu nome, no céu e sobre a terra. 

Que ele vos conceda, segundo a riqueza de sua glória, serdes robustecidos, por seu Espírito, quanto ao homem interior, que ele faça habitar, pela fé, Cristo em vossos corações, que estejais enraizados e fundados no amor. 

Tereis assim a capacidade de compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade, e de conhecer o amor de Cristo, que ultrapassa todo o conhecimento, a fim de que sejais cumulados até receber toda a plenitude de Deus. 

Àquele que tudo pode realizar superabundantemente, e muito mais do que nós pedimos ou concebemos, e cujo poder atua em nós, a ele glória, na Igreja e em Jesus Cristo, por todas as gerações, para sempre. Amém. (Ef 3,14-21)

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: “Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! Devo receber um batismo, e como estou ansioso até que isto se cumpra!
Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.  (Lc 12,49-53)

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Pelo Reino de Deus


"Finalmente, irmãos, fortalecei-vos no Senhor, pelo seu soberano poder. Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do demônio. Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares. 
Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever. 

Ficai alerta, à cintura cingidos com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, e os pés calçados de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. Sobretudo, embraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dardos inflamados do Maligno. Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus. 

Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em toda circunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos. E orai também por mim, para que me seja dado anunciar corajosamente o mistério do Evangelho, do qual eu sou embaixador, prisioneiro. E que eu saiba apregoá-lo publicamente, e com desassombro, como é meu dever!" 
Efésios 6, 10-20



segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Ato de Oferecimento de Santa Teresinha do Menino Jesus como Vítima ao Amor Misericordioso de Deus



Ato de Oferecimento de Santa Teresinha do Menino Jesus como Vítima ao Amor Misericordioso de Deus





Meu Deus, Uno na essência e Trino em pessoas, quero amar-Vos e fazer-Vos amar, quero trabalhar pela glorificação da Santa Igreja, salvando as almas que ainda vivem na terra e libertando as que sofrem no Purgatório. Desejo cumprir inteiramente a Vossa vontade e merecer o grau de glória que me destinastes no Vosso reino: quero, enfim, santificar-me; vendo, porém, a minha grande fraqueza, suplico-Vos, Senhor, que Vos digneis ser Vós mesmo a minha Santidade.

Já que me amastes a ponto de me dar o Vosso Unigênito Filho por Salvador e Esposo, pertencem-me os tesouros infinitos dos seus merecimentos: eu vo-los ofereço de todo o coração, pedindo-Vos humildemente que não olheis para mim, senão através da Face de Jesus e do Seu Coração abrasado em chamas de amor. 

Ofereço-Vos também os merecimentos de todos os Santos da terra, os seus atos de amor e os de todos os santos Anjos; ofereço-Vos, enfim, ó Beatíssima Trindade, o amor e os merecimentos da Virgem Maria, minha terna Mãe; em suas mãos virginais deponho o meu oferecimento para que Ela vo-Lo apresente.

O seu Divino Filho e meu Esposo muito amado disse-nos que “Tudo quanto pedíssemos ao seu Pai em seu nome, Ele no-lo daria.” Creio firmemente nesta palavra, e confio que os meus rogos hão de ser atendidos ... Sim, meu Deus e meu Senhor, quanto mais quereis dar, tanto mais fazeis desejar. 
Ah! os desejos do meu coração são imensos; peço-Vos, pois, cheia de confiança, que tomeis conta de minha alma. 

Ah! não tenho a felicidade de receber a Sagrada Comunhão tantas vezes, quantas desejara; mas não sois Vós, Senhor, o Todo Poderoso? Permanecei em mim, assim como no Tabernáculo, não Vos afasteis mais da Vossa pequenina vítima. Queria consolar-Vos das ingratidões dos maus, e peço-Vos me tireis a liberdade de desagradar-Vos. Se eu por fraqueza cair, alguma vez, logo o vosso olhar purifique a minha alma consumindo todas as minhas imperfeições, assim como o fogo transforma todas as coisas em si mesmo.

Infinitas graças Vos dou, meu Deus, por todos os favores que me tendes concedido, em particular por me terdes feito passar pelo crisol da tribulação. Ah! que delícia contemplar-Vos no último dia arvorando o cetro da cruz! E já que Vos dignastes dar-me em quinhão essa cruz tão preciosa, espero que no céu também hão de, como no Vosso, refulgir no meu corpo, glorificado, os sagrados estigmas da Vossa paixão.

Após o exílio da terra espero ir gozar-Vos na Pátria Celeste, mas não quero entesourar méritos para o Céu; desejo trabalhar só por Vosso amor, com o único fim de Vos agradar, consolar o Vosso Sagrado Coração e de salvar as almas que Vos louvem e amem eternamente.

Ao cair da tarde da minha vida comparecerei diante de Vós com as mãos vazias, porque Vos peço, Senhor, que não conteis as minhas boas obras ... “Todas as nossas justiças são maculadas aos vossos olhos”. Quero, portanto, revestir-me da Vossa própria justiça e receber unicamente do Vosso amor a posse eterna de Vós mesmo. Não quero outro tesouro e outra coroa, senão Vós meu único Amor. Para Vós o tempo é um nada, porque um só dia é como mil anos. Logo num só instante podeis preparar-me para comparecer diante de Vós. E para que a minha vida seja um ato de contínuo e perfeito amor:

Ofereço-me como vítima de holocausto ao vosso amor misericordioso, suplicando-Vos me consumais inteiramente deixando em minha alma transbordarem as vagas de ternura infinita, que em Vós se encerram, e assim eu me torne mártir do Vosso amor.

Fazei que este doce martírio, depois de me ter preparado para comparecer diante de Vós, ponha termo à minha vida para a minha alma se enlaçar sem demora, no eterno abraço do Vosso amor.

Quero, ó meu único e doce Amor, que cada palpitação do meu coração Vos renove infinitas vezes este oferecimento até que “as sombras se tenham dissipado” e possa reafirmar-Vos o meu amor num face a face eterno! ... 



Indulgências concedidas, para sempre, aos que rezarem o ato de oferecimento composto por Santa Teresinha do Menino Jesus:
I - Indulgência parcial de 300 dias cada vez que for rezado com o coração contrito e com devoção, começando ao menos, das palavras: Ofereço-me como vítima de holocausto, etc...
II - Indulgência plenária, em cada mês, que for rezado com as devidas condições acima, todos os dias do mês.
(Roma S. Penitenciária - 31 de Julho de 1923)



sábado, 29 de setembro de 2018

Apocalipse 12



Houve uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão lutou juntamente com os seus anjos, mas foi derrotado, e não se encontrou mais o seu lugar no céu. 

E foi expulso o grande Dragão, a antiga Serpente, que é chamado Diabo e Satanás, o sedutor do mundo inteiro. Ele foi expulso para a terra, e os seus anjos foram expulsos com ele. 

Ouvi então uma voz forte no céu, proclamando: “Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo. Porque foi expulso o acusador dos nossos irmãos, aquele que os acusava dia e noite diante do nosso Deus. 

Eles venceram o Dragão pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu próprio testemunho, pois não se apegaram à vida, mesmo diante da morte. Por isso, alegra-te, ó céu, e todos os que viveis nele”.  

-  Livro do Apocalipse, capítulo 12, versículos de 7 a  12  - 

domingo, 16 de setembro de 2018

Homilias marxistas







Impressiona ver como certos padres fazem campanha política durante a missa.

Impressiona mais ainda porque defendem partidos e candidatos que promovem o aborto, a ideologia de gêneros, e outras ideias totalmente antagônicas à doutrina católica.

Alguns chegam a usar figuras de linguagem, para não o fazer abertamente depois do que tem sido noticiado sobre o envolvimento da teologia da libertação com partidos políticos.

Interessante que a segunda leitura de hoje (Tg 2,14-18) fala sobre a nulidade  da fé sem a sua manifestação em obras.

O quê dizer de sacerdotes, que defendem partidos políticos que lutam a favor da liberação do aborto?

O assassinato de seres inocentes, é essa a obra que pretendem apresentar como suas?

E quanto aos fiéis que escutam suas homilias, que tipo de obra recebem na mensagem fake que troca a mensagem espiritual, o conforto da piedade, a esperança da fé por mensagens políticas contra a doutrina católica?

Tal comportamento seria semelhante ao de um médico que procurado pelo paciente enfermo lhe prescreve um veneno no lugar do remédio.

Sei de muitos fiéis que ficam pensando se o padre aplica a si mesmo as mensagens que tenta passar para um rebanho que parece ter mais luz do que seu pastor. 

Justamente por se saberem parte  do rebanho de Jesus Cristo, comprado por seu sangue divino, e por procurarem sempre a Sua presença e buscarem a Sua luz na constante oração, conseguem ver tudo mais claro do que o pobre padre que caiu no conto do lobo e mergulhou no ativismo, que pensava ser religioso mas que na verdade é politico; a falta de oração não o permite perceber...

Esses fiéis são os que vivem pedindo que a misericórdia divina atinja, e seja remédio, para aqueles que, ainda tão doentes, lhes dão o pão vida. 

Um verdadeiro milagre tem acontecido no nosso tempo: o padre prescreve o veneno mas entrega o Pão da Vida, o que tem sido sustento e remédio para vida do povo de Deus, há tanto tempo. Louvado seja Deus!

"Deus provê, Deus proverá, Sua misericórdia  nunca nos faltará"


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

A Presença Real de Jesus Cristo na Eucaristia





“Senhor, riqueza dos pobres, como sabeis admiravelmente sustentar as almas! Em lugar de descobrirdes os Vossos tesouros de uma só vez, pouco a pouco os ides mostrando, para que eu, ao ver uma Majestade tão grande, escondida em tão pouca coisa como é a hóstia, não possa deixar de admirar a Vossa tão grande sabedoria..."

"Ó Senhor meu, se não encobrisses assim a Vossa grandeza, quem ousaria unir tantas vezes com a Vossa Majestade, uma alma tão suja e miserável? Bendito sejais, Senhor! Louvem-Vos os anjos e todas as criaturas pois assim acomodais as coisas à nossa fraqueza para que, gozando de tão soberanas mercês, não nos espante o Vosso grande poder. Como fracos e miseráveis que somos, se Vós não tivésseis recorrido a este meio, não teríamos ousado gozá-las."

"Como poderia eu, Senhor, pobre pecadora que tanto Vos ofendeu ter a ousadia de estar perto de Vós, se visse toda a Vossa Majestade? Sob os acidentes do pão, ao  contrário, estais muito mais acessível; do mesmo modo que, quando um rei se disfarça, nada se nos daria de conversar com ele sem tantas atenções e respeitos. Se Vós, ó Senhor, não tivésseis assim disfarçado, quem de nós ousaria chegar-se a Vós com tanta tibieza, tão indignadamente, com tantas imperfeições?"

"De resto, não posso duvidar, de forma alguma, da Vossa presença real na Eucaristia. Deste-me uma fé tão viva que quando ouço algumas pessoas dizerem que queriam ter vivido no tempo em que Vós andáveis no mundo, rio-me comigo mesma, parecendo-me que, tendo-Vos no Santíssimo Sacramento, nada mais deveriam desejar! "
  • - Santa Tereza de Avila -

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Oração para o Nosso Tempo




   Extraída do livro: Hora Santa,
 Autor: Pe. Mateu Crawley- Boevey SS.CC.
Edição da  Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola



 Em presença, ó Jesus, de vossa Mãe Imaculada, e dos Anjos que Vos adoram no Santíssimo Sacramento, à face do Céu e da terra ingrata e revoltada... nós Vos reconhecemos ó Jesus, como único Soberano e Senhor, única fonte de autoridade, de virtude e de beleza...
           
Portanto, prostrados em espírito de reparação social, proclamamos:
             
Não reconhecemos ordem social sem Deus e contra Deus; 
a base da ordem social sois Vós, ó Jesus!
           
Não reconhecemos as leis de um progresso qualquer 
sem Deus e contra Deus
A lei do verdadeiro progresso é a vossa ó Jesus!
           
Não reconhecemos as utopias de uma civilização sem Deus 
e contra Deus
O princípio da civilização é o vosso Evangelho, ó Jesus!
           
Não reconhecemos justiça sem Deus e contra Deus
A Justiça Integral sois Vós, ó Jesus!
           
Não reconhecemos fraternidade sem Deus 
e contra Deus. A única fraternidade é a vossa, ó Jesus!
           
Não reconhecemos verdade sem Deus e contra Deus
A Verdade substancial sois Vós, ó Jesus!
           
Não reconhecemos amor sem Deus e contra Deus.
 O Amor incriado sois Vós ó Jesus!
                       
 Senhor, só Vós sois bom, só Vós sois Rei, levantai-Vos, 
dominai a tempestade, restaurai a vossa Soberania desprezada. Levantai-Vos em toda a potência do Vosso Coração; e reinai pela divina sabedoria da vossa cruz.


sábado, 11 de agosto de 2018

Dia dos Pais - Dia de São José -




Tomei por advogado e senhor o glorioso São José, e recomendei-me muito a ele. Claramente vi que desta necessidade, como de outras maiores referentes à honra e perda da alma, esse pai e senhor meu salvou-me com maior lucro do que eu lhe sabia pedir. Não me recordo de lhe haver, até agora, suplicado graça que tenha deixado de obter.

Coisa admirável são os grandes favores que Deus me tem feito por intermédio desse bem-aventurado Santo, e os perigos de que me tem livrado, tanto de corpo como da alma. 

A outros santos o Senhor parece ter dado graça para socorrer numa determinada necessidade. Ao glorioso São José tenho experiência de que socorre a todas. 

O Senhor quer dar a entender com isso que assim como lhe foi submisso na terra, onde São José na qualidade de pai adotivo, o podia mandar, assim no céu atende a todos os seus pedidos. 

Por experiência, o mesmo viram outras pessoas a quem eu aconselhava encomendar-se a ele. Hoje há muitas que lhe são devotas e experimentam cada dia esta verdade.

Santa Tereza de Ávila - Livro da Vida- 

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Refúgio no Coração de Jesus



Em tempo tão sofrido, e difícil, para o povo de Deus, busquemos refúgio no Coração e Jesus, onde encontramos remédio para todos os tipos de dores e estimulo para todas as lutas.  Nele, enquanto apaziguamos o nosso coração desaguando todas as nossa apreensões e angústias, pedimos por todos, e pelos ambientes nos quais vivemos. 

Ele mesmo disse: “pedi, e recebereis…” 
Todos os que O procuram reconhecendo a Sua Majestade, que é toda Poder e Bondade, conseguem se ver livre da tristeza e entrar no gozo da mais profunda alegria, ainda que seja no meio de um "sangrento" campo de batalha cultural. Porque Ele é Deus, e a sua misericórdia, o seu  amor por nós,  é do mesmo tamanho do seu poder. Ele só precisa do nosso olhar pedinte. Venha a nós, Senhor, o Vosso Reino!

Rezemos, então, uma parte da meditação para a primeira sexta-feira de agosto, tirada do livro; “Hora Santa”, do Padre Mateu Crwley- Boevey SS. CC.; editado e distribuído gratuitamente pela Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola. –


""Vos pedimos com lágrimas, em companhia de toda a Igreja Santa, pela intercessão da Virgem Mãe, e pela honra do Vosso nome, apresseis o advento, estabeleçais já o reinado do vosso amante coração.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Apressai-vos, Jesus, e reinai antes que o mundo e o demônio se apossem das consciências, e profanem, na vossa ausência, todos os estados da vida.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Adiantai-vos, Jesus, e triunfai nos lares! Reinai neles pela paz inalterável prometida  às famílias que Vos receberem com hosanas.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Não Vos demoreis, Mestre amado, porque muitos deles padecem aflições e amarguras, que Vós só prometestes remediar.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Vinde, porque sois forte, Vós, o Deus das batalhas da vida; vinde, mostrai-vos vosso peito ferido, como esperança celeste no transe da morte.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Sede Vós o êxito prometido aos nossos trabalhos, a inspiração e recompensa de todas as empresas.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

E os vossos prediletos, os pecadores, não esqueçais que para eles, sobretudo, revelastes as ternuras inextinguíveis do vosso amor.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Ah! São tantos os tíbios, tão numerosos os indiferentes!… Inflamai-os, santificai-os com esta admirável devoção.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

“Eis aqui a vida…”dissestes, mostrando-nos vosso peito atravessado: Permiti-nos beber aqui o fervor e a santidade por que aspiramos.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

A vossa imagem foi entronizada, a pedido vosso, em muitas famílias; em seu nome, Vos suplicamos sejais sempre o seu Senhor e Rei adorado.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

Dai palavras de fogo, persuasão irresistível à queles sacerdotes que Vos amam e pregam como João, o discípulo amado.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

E a quantos propagam esta devoção sublime, a todos que publicam as suas inefáveis maravilhas, reservai ó Jesus, no vosso Coração, um lugar de preferência, perto daquele que reservastes para vossa Mãe.

Venha nós o reinado do vosso amante coração!

E por fim, ó Jesus, dai-nos a todos,  o Céu do vosso Coração, a todos os que temos compartilhado da vossa agonia na Hora santa. Por essa hora de consolo e pela Comunhão reparadora das primeiras sextas-feiras, cumpri em nós a vossa promessa inefável. Na hora da nossa morte:

Venha nós o reinado do vosso amante coração!""



quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Aborto - Por quem os sinos dobram?




"Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo; todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme. Se um torrão de terra for levado pelo mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse o solar dos teus amigos ou o teu próprio; a morte de qualquer homem me diminui, porque sou parte do gênero humano, e por isso não me perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti.” 
– O trecho da poesia de John Donne, que dá título e epígrafe à obra de Ernest Hemingway “Por quem os sinos dobram”, fala alto no fundo de um coração humano – 

O fato dos sinos dobrarem pelos mortos faz parte da história do mundo ocidental. Antigamente os sinos das igrejas tocavam tristemente quando morria alguém da paróquia.  Mesmo as crianças, ainda pequenas, ao ouvir os badalos longos e lentos já os associavam à dor; porque ouviam os adultos, em tom de tristeza, se perguntarem: – Quem morreu?

Vejo no Facebook que Dom  Emmanoel de Oliveira, bispo de Caratinga, MG,  ordenou que, às 15 horas, hora da Misericórdia, de 02 de agosto, dia do Perdão de Assis, na Festa da Porciúncula, todos os sinos das igrejas da sua diocese  sejam tocados pela vida, contra o aborto, clamando as orações de todos os fiéis. Vejo que no Rio de Janeiro, também, os sinos das igrejas badalarão  pela mesma intenção.

Quando era adolescente, ouvi contar a história triste de um padre que fora expulso da sua cidadezinha na Europa por tocar os sinos com toque  fúnebre  todos dias, mesmo que ninguém tivesse morrido. Ele dizia que os tocava pelos seus irmãos inocentes que eram assassinados, pelo aborto, no mundo todo.  Tal atitude  irritava seus paroquianos que, naquela época, já começavam a ter os corações endurecidos.

O quê pensar diante do fato de que o STF se posiciona para analisar a Constituição e proferir uma interpretação da mesma para decidir se será crime ou não assassinar criancinhas indefesas nas barrigas das mães.

Isso, apesar da Constituição Federal de 1988, no artigo 5º, caput,  garantir o direito à vida a todos os brasileiros e estrangeiros que aqui no Brasil residem:

“Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”.

O STF  tem poder para mudar o sentido das palavras e dar a elas outra conotação? Se o podem fazer, não precisamos do Poder Legislativo.
Alguém poderá dizer que que o feto humano não tenha direito à vida, que não  pode ser considerado uma pessoa?  
Será que quem  diz isso pode  afirmar que não tenha sido um feto humano? 
Considera que se tivesse sido abortado não poderia hoje estar dizendo o que  deve ser considerado uma sandice?
Que direito tem alguém de decidir quem deve ou não morrer? 
Tal pessoa, que acredita deter tal poder, vive por determinação própria? 
Escolheu ser quem é, ter tais características físicas? 
Escolheu a data e o local em que foi concebido, a duração da sua gestação e data e o local do seu nascimento? 
Poderá decidir sobre a vida ou morte de alguém, ainda mais se a vítima não lhe tenha feito mal algum além de simplesmente existir? 
Dar um pouco de atenção à própria pessoa pode ajudar  uma mulher a perceber que se livrar de um ser inocente, que poderá lhe proporcionar as maiores e mais ricas emoções da vida, com certeza será um mal infinitamente maior do que passar pelo desconforto que possa parecer ter um bebê. 
Não fiquemos à mercê de pessoas pobres, desprovidas de sentimentos, que não  são mais capazes de transcender além da pobre matéria, da sensação física, e que veem as pessoas apenas como estorvos, porque  consideram os seres humanos apenas um conjunto de pobres ignorantes a serem tratados como manada; os que resolvem, da sua "infinita sabedoria", o deve ser aplicado a todos os mortais. Eles, não creem em Deus, e pensam que O sejam.Triste situação. 
Porém, aos que Lhe pedem, Deus concede a graça de serem tratados, cada um, como um ser único, desejado e amado, muito antes de  ser projetado pela Sua infinita Sabedoria e ser concebido, naquela barriga, com a semente daquele pai. Perceber essa verdade, é uma graça fácil de se receber. Basta querer e pedir a Quem pode dar.
Então, os que assim se sentem, filhos amados de Deus, sofrem muito quando veem seus semelhantes receberem um tratamento tão hediondo que não suportariam ver acontecer com nenhum animal. 
Por isso, o tocar dos sinos é tão importante. Eles nos  despertam a consciência, e nos lembram da dor causada por tal crime, que os ditadores da cultura imposta querem anestesiar em nós  para fazer-nos regredir a um estágio de vida quase vegetal. Assim seríamos mais fáceis de sermos controlados, como o gado o é.

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Bênção dos avós



Deus eterno e misericordioso, Pai de todas as gerações, que escolhestes Joaquim e Ana para serem avós de Jesus, derramai as vossas bênçãos sobre todos os avós.

Que sejam fortalecidos pela vossa graça, para transmitir às gerações mais novas a história da nossa salvação e a experiência da vossa ternura.

Que sejam iluminados pelo vosso Espírito  para partilharem com os mais novos a sua sabedoria e a sua fé, as suas alegrias e esperanças.

Que sejam configurados com Cristo para que nas dificuldades dos seus dias encontrem alegria na comunhão familiar, ânimo no cuidado dos netos, e paz no seu mundo.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Amém.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Uma questão de importância e de poder




Entre e três e quatro horas da tarde. 
As autoridades, os que ocupam cargos relevantes e importantes de cujo trabalho depende a vida da população, especialmente os mais simples e pobres; assim como os jornalistas, os que se encarregam de divulgar os feitos dessas autoridades para o conhecimento publico,  estão a pleno vapor, usando todos os recursos das suas capacidades mentais para que os fatos se sucedam segundo o que consideram bom.

Nem sempre, o que consideram bom coincide com que o povo simples o considera. Na maioria das vezes, pelo que se pode constatar, as pessoas  tidas como importantes estão encasteladas em bunkers políticos muito mais preocupadas em destruir os que consideram adversários do que em realizar obras que beneficiem as pessoas comuns, do povo em geral. Essas, só são lembradas na época das eleições. Nesse tempo, são importantíssimas! Portanto, especialistas em comunicação são contratados a peso de ouro para produzir peças de comunicação para, em todas as mídias,  divulgarem as vantagens dos seus candidatos e as desvantagens dos opositores. É uma guerra.

 Os tempos entre as eleições,  as pessoas importantes, os poderosos, se dedicam a realizar conchavos, relacionamentos políticos, e a forjar fatos  que os mostrem na mídia como bons sujeitos, ou  que destruam  a boa reputação dos desafetos políticos. Por tal motivo, as decisões a respeito do que seria bom para povo, os projetos das promessas de campanha, os serviços básicos que devem ser prestados à população ficam relegados, a segundo, terceiro, quarto plano… não sobra tempo… por isso quase sempre acabam em improvisados projetos feitos “nas cochas”,  finalizados com um “foi o que conseguimos fazer, diante da urgência da necessidade… Necessidade de agora, não prevista, não lembrada, não preparada, não conduzida e não atendida como deveria ser. Resultado: povo indignado com o atendente de balcão, com quem é colocado diante dele impotente, sem os recursos necessários para atender as necessidades urgentes de cada cidadão.  O funcionalismo público se apresenta como um salva vidas que não sabe nadar.

Enquanto tudo isso acontece, com as pessoas importantes se digladiando verbalmente nos jornais e nas redes sociais, com a difamação correndo solta enquanto o povo sofre as terríveis consequências da infantilidade dos que ocupam cargos importantes na política, no serviço público e nas comunicações, um grupo de mulheres despacha diretamente com Deus Todo Poderoso. 

Elas apresentam a Ele suas necessidades, suas preocupações com a saúde de seus doentes, com o direcionamento dado à educação de seus filhos, netos e bisnetos, com o desvirtuamento, com os descaminhos seguidos pela juventude estimulada pelos meios de comunicação e as políticas educacionais. Pedem recursos e providências para o futuro de suas famílias num mundo cada vez mais deteriorado, no qual Deus perdeu a importância para o homem que agora a tem perdido para os animais. 

Apresentam pedidos urgentes e causas a serem atendidas a médio e longo prazos, com o cuidado de deixar claro que desejam que essas graças sejam estendidas a todas as mulheres,  de todo o mundo, que estejam na situação delas, por suas famílias e pelas necessidades de cada um dos seus membros. Que a nenhum falte o afeto e a acolhida com o respeito e a dignidade próprio e relativa aos filhos de Deus,  a Quem se dirigem com toda a simplicidade  que corresponde à liberdade de uma filha com seu Pai totalmente amoroso. 

Eu conheço lugares em que  tais mulheres têm conseguido feitos extraordinários.



sábado, 7 de julho de 2018

Primeiro sábado do mês, dedicado ao Imaculado Coração de Maria


A Vós, Senhor Deus, rendo graças do mais íntimo do coração, porque por nós, tão indignos, vos dignastes tomar nossa natureza e, nascendo da Virgem, quisestes ser alimentado com leite, ser acolhido seu regaço e estar-lhe sujeito, Vós que tudo conservais e regeis. 

E dignaste-Vos iluminar-me, a mim miserável… de modo que eu saiba que tendes uma Mãe, e me concedestes, indignadíssima criatura, que eu possa e ouse saudá-la… 

Oh! Com quanta devoção deveria o meu coração expandir-se diante de vós, Virgem Maria! A minha boca deveria estar cheia de uma admirável doçura quando vos saúdo, doce e benigna Senhora, e bendigo o fruto do vosso ventre. 

Oh! Como é possível que, ao saudar-vos, não me deleite tanto que chegue a esquecer todas as coisas por vós e pelo vosso Fruto? 

E que podeis ouvir com mais agrado do que a saudação na qual sois reconhecida como Mãe de Deus? Vós quereis que os homens se alegrem em vós para o seu afeto se dirija para Aquele de quem sois Mãe, pois que não quereis outra coisa senão ser reconhecida e saudada como Mãe de Deus. 

Ave, portanto, ó Maria! Verdadeiramente Ave! Ó admirável Ave, pelo qual os demônios são postos em fuga, são libertados os pecadores, são regenerados os filhos: o Anjo congratula-se convosco, ó Virgem, o Verbo encarna no vosso seio e vós tornai-vos Mãe de Deus. A vós, pois, cante Ave sem fim toda a criatura… 

Com toda reverência, honra e devoção devemos saudar-vos, ó bem-aventurada Virgem pois vós procurais quem se aproxima de vós com reverência e devoção. A estes amais, alimentais e tomais por filhos. Oh! Feliz aquele que faz todo o possível para se conformar convosco, Mãe de Deus! Este é certamente o que, desprezando toda criatura, só a Deus se une com singular amor e, crucificado com Cristo, anseia pela salvação das almas - São Boaventura -

Extraido do livro: Intimidade Divina - Meditações sobre a vida interior para todos os dias do ano.
Autor: P. Gabriel de Santa Madalena O.C.D. - Edições Carmelitanas - Porto - 

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Corpus Christi

Glória a Jesus na Hóstia santa
Que se consagra sobre o altar
E aos nossos olhos se levanta
Para o Brasil abençoar!

REFRÃO:
Que o Santo Sacramento,
Que é o próprio Cristo Jesus,
Seja adorado e seja amado
Nesta terra de Santa Cruz!
Seja adorado e seja amado
Nesta terra de Santa Cruz!

Glória a Jesus, prisioneiro
Do nosso amor a esperar,
Lá no Sacrário, o dia inteiro,
Que o vamos todos procurar!

Glória a Jesus, Deus escondido,
Que, vindo a nós na comunhão,
Purificado, enriquecido
Deixa-nos sempre o coração!

Glória a Jesus, que ao rico, ao pobre
Se dá na Hóstia em alimento
E faz do humilde e faz do nobre
Um outro Cristo, em tal momento!

Glória a Jesus Sacramentado,
Que vai ao enfermo visitar
E deixa-o sempre confortado
No seu amor a confiar!

Glória a Jesus na Eucaristia,
No sacramento do amor!
Longe de nós toda heresia,
Que à nossa fé se queira opor!

Glória a Jesus na Eucaristia,
Cantemos todos sem cessar!
Certos também que de Maria
Bençãos a pátria há-de ganhar.z

domingo, 1 de abril de 2018

Proclamação da Páscoa

Texto do início da Missa Solene de Proclamação da Páscoa.



Tela de Noël Coypel, postado no Facebook por Alexandre Dan Zwicker Cartianu


Exulte o céu e os anjos triunfantes,
Mensageiros de Deus desçam cantando;
Façam soar trombetas fulgurantes,
A vitória de um Rei anunciando.

Alegre-se também a terra amiga,
Que meia há tantas luzes resplandece;
E vendo dissipar-se a treva antiga,
Ao som do eterno Rei brilha e se aquece.

Que a Mãe Igreja alegre-se igualmente,
Erguendo as velas deste fogo novo,
E escute, reboando de repente,
O aleluia cantado pelo povo.

E vós, que estais aqui, irmãos e queridos,
Em torno desta chama reluzente,
Erguei os corações,
E assim unidos invoquemos o Deus onipotente.

Ele, que por seus dons na reclama,
Quis entra que entre os seus levitas me encontrasse:
Para cantar a glória desta chama,
De sua luz um raio me trespasse!

– O Senhor esteja convosco.

 Ele está no meio de nós.

– Corações ao alto.

 O nosso coração está em Deus.

– Demos graças ao Senhor nosso Deus.

 É nosso dever e nossa salvação.

Sim, verdadeiramente é bom e justo
Cantar o Pai de todo o coração,
E celebrar seu filho Jesus Cristo,
Tornado para nós o novo Adão.
Foi ele quem pagou do outro a culpa,
Quando por nós à morte se entregou:
Para pagar o antigo documento,
Na cruz todo o seu sangue derramou.

Pois eis agora a Páscoa, nossa festa,
Em qual o real Cordeiro se imolou:
Marcando nossas portas, nossas almas,
Com seu divino sangue nos salvou.
Esta é, Senhor, a noite em que o Egito
Retirastes os filhos de Israel,
Transpondo o mar Vermelho a pé enxuto,
Rumo a terra onde correm leite e mel.

Ó noite em que a coluna luminosa
As trevas do pecado dissipou,
E aos que creem no Cristo em toda a terra
Em novo povo eleito congregou!
Ó noite em que Jesus rompeu o inferno,
Ao ressurgir da morte vencedor:
De que nos valeria ter nascido
Se não nos resgatasse em seu amor.

Ó Deus, quão estupenda caridade
Vemos no vosso gesto fulgurar:
Não hesitais em dar o próprio Filho
Para a culpa dos servos resgatar.
Ó pecado de Adão indispensável,
Pois Cristo o dissolve em seu amor;
Ó culpa tão feliz, que há merecido
A graça de um tão grande Redentor!

Só tu, noite feliz,
Soubeste a hora em que o Cristo da morte ressurgia;
E é por isso que de ti foi escrito,
A noite será luz para o meu dia!
Pois esta noite lava todo o crime,
Liberta o pecador do seus grilhões;
Dissipa o ódio e dobra os poderosos,
Enche de luz e  paz os corações.
Ó noite de alegria verdadeira,
Que prostra o Faraó e ergue os Hebreus,
Que une de novo ao céu a terra inteira,
Pondo treva humana a luz de Deus.

Na graça desta noite o vosso povo
Acende um sacrifício de louvor;
Acolhei, ó Pai Santo, o fogo novo:
Não perde, ao dividir-se, o seu fulgor.
Cera virgem de abelha generosa
Ao Cristo ressurgido trouxe a luz:
Eis de novo a coluna luminosa,
Que o vosso povo para o céu conduz.

O círio que acendeu as nossas velas
Possa esta noite toda fulgurar;
Misture sua luz à das estrelas,
Cintile quando o dia despontar.
Que ele possa agradar-vos como o Filho,
Que triunfou da morte e vence o mal:
Deus, que a todos acende no seu brilho
E um dia voltará, sol triunfal.