domingo, 25 de janeiro de 2015

O maravilhoso valor da Santa Missa



Toda missa implora o teu perdão junto da Justiça Divina. 

Em toda Missa podes diminuir a pena temporal devida aos teus pecados, e diminuí-la mais ou menos consoante com o teu fervor.
                  
Assistindo com devoção à Missa, prestas a maior das honras à Santa Humanidade de Jesus Cristo.Ele compadece-se de muitas das tuas negligências e omissões. Perdoa-te os pecados veniais não confessados, dos quais, porém, te arrependeste.
                 
 Diminui o império de Satanás sobre ti. Sufraga as almas do Purgatório da melhor maneira possível.
            
Uma só Missa a que houveres assistido em vida ser-te-á mais salutar que muitas a que outras pessoas assistirão por ti, depois da tua morte; pois pela Missa participas da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

A Missa preserva-te de muitos perigos e desgraças que te abateriam.

Toda Missa diminui o teu purgatório.

Toda Missa alcança-te um grau de glória maior no Céu.

És abençoado em teus negócios e interesses pessoais.

“Fica sabendo, ó cristão, que mais se merece em assistir devotamente a uma só Missa do que distribuir todas as riquezas aos pobres e a peregrinar sobre a terra”. – São Bernardo
                 
 “Nosso Senhor nos concede tudo o que Lhe pedimos na Santa Missa: e o que mais vale é que nos dá ainda o que nem sequer cogitamos pedir-Lhe e que, entretanto, nos é necessário.” – São Jerônimo
                
  “Se conhecêssemos o valor do Santo Sacrifício da Missa, que zelo não teríamos em assistir a ela! "– Cura d’Ars


 “A Missa é o sol da Igreja.” – São Francisco de Sales

Texto extaído de devocionários antigos.
Parte do livreto "A Devoção ao Sagrado Coração de Jesus segundo a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola. " Disponível para download gratis 

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Momento de Fé


 Marcília e Roberto fazem parte da chamada terceira idade.  Têm a vida pautada por compromissos que agora podem escolher, graças à aposentadoria. Às vezes sentem falta do burburinho, do estresse, das cobranças e correrias de antes, mas só às vezes. 

Escapam também da tutela de muitos médicos, muitos exames, até da diabetes e da pressão alta. 
Atribuem essa regalia, que consideram estar ao alcance de quem queira, ao  que  denominam: "Momento de Fé”.  Sabem, contudo, que nem todos têm habilidade para dela tirar proveito; grande número das pessoas sofrem da doença  a que chamam "coração duro. Segundo eles, apesar do nome,  ela atinge a alma, portanto, a medicina do corpo não pode curar.

 Tal regalia, "Momento de Fé”, consiste numa reunião da qual participam, todas as manhãs, de segunda à  sábado.  Ela acontece graças a uma tecnologia cuja existência nem era cogitada quando eram jovens.  Praticamente, a reunião acontece na casa deles. Eles sintonizam o rádio, e se unem a  milhões  de pessoas, dos mais diversos lugares, que,  sintonizadas   ao rádio, a TV a cabo,  à internet pelo computador ou, ainda, ao aparelho celular acompanham ao vivo, a acolhida e a oração de um padre muito querido.

 Ele conversa sobre os assuntos atuais, mas, principalmente ouve. Ouve pessoas que choram e pedem o socorro das orações para situações doloridas, outras, cheias de alegria por poder compartilhar a alegria que tiveram, ao receber uma atenção especial de Deus evidenciada em determinado  fato.

Roberto e Marcília escutam. Se quiserem, podem participar, por telefone, carta ou e-mail, mas nem precisam. Sentem que estão inseridos nesta multidão invisível, de cuja existência não podem duvidar. Uma multidão formada de pessoas únicas, cada uma se sentindo junto de Deus e junto dos irmãos de fé.  Sentem, todos os dias,  esse conforto indizível. 

A pauta do encontro é sempre a mesma: o bom dia, a acolhida, do padre,  a leitura de cartas, os telefonemas ao vivo; depois vem a oração inspirada do padre, que  envolve e atinge a todos e a cada pessoa em particular no manto suave e acolhedor do amor de Deus. Por último, acontece a bênção da água, dos remédios, das carteiras de trabalho, do cartão de crédito,  coisas relativas ao tema do dia ou da semana. A bênção sacerdotal, ao vivo,  deixa o sacramental, a água benta, como sinal da Presença de Deus, na qual nenhum mal prevalece.

 O fato da pauta ser sempre a mesma não torna o encontro repetitivo e maçante, nem um dia é igual ao outro.  O conteúdo é tão variado quanto os perfis das pessoas que participam do encontro e que representam um grande número de pessoas do mesmo segmento. Pobres, ricos, cultos, iletrados,  com sotaques de todas as regiões do Brasil e ainda, muitas, do exterior que ouvem via internet, o programa é feito sempre, sempre, ao vivo, daí o valor da ação sacerdotal.

Quando termina a “reunião", Marcília e Roberto estão refeitos, leves, e prontos para tentarem, com graça de Deus, funcionar, o melhor possível, como verdadeiros seres humanos, amados e queridos por Deus, e acompanhados da lembrança de que são iguais,  e estão junto, a tantos milhões que acompanham o "Momento de Fé". Todas as pequenas mazelas diárias foram esclarecidas e ponderadas enquanto ouviam as dores de uns e superadas pela esperança que recebem das alegrias e vitórias compartilhadas por outros. Sentem-se completamente participantes das vidas de milhões de pessoas do seu tempo e sentem que todas elas participam das suas. Mais do que tudo,  sentem confiança em Deus.

A vida deles se torna, a cada dia, mais realista. Compreendem que a vida humana é feita do somatório de dores e alegrias, e que,  na presença de Deus, é possível distingui-las com naturalidade,  para vivê-las tão intensamente for interessante.

Marcília e Roberto são personagens fictícios, mas  o programa de rádio “Momento de Fé” é pura realidade. É  transmitido, ao vivo, diariamente  pelo Padre Marcelo Rossi, pela Rádio Globo, das 9:05 às 10:05, horário de Brasília. É também transmitido, em rede, por inúmeras rádios, nos mais diversos pontos do país. Pode ser ouvido ainda,  por meio da NET e da Sky. Pela internet no link:
http://www.padremarcelorossi.com.br/webRadio.php

Giselle Neves Moreira de Aguiar

domingo, 18 de janeiro de 2015

Como ler a Palavra de Deus


O Papa Emérito, Bento XVI, na sua exortação apostólica pós-sinodal  VERBUM DOMINI(§87), resume sabiamente o ensinamento de como devemos nos aproximar das Sagradas Escrituras para delas tirar proveito e alimento que proporcione frutos de grande eficácia para o nosso próprio bem e de toda a humanidade, o que constitui a glória de Deus

"...à lectio divina ( leitura orante da Bíblia), que é verdadeiramente capaz não só de desvendar ao fiel o tesouro da Palavra de Deus, mas também de criar o encontro com Cristo, Palavra divina viva. Quero aqui lembrar, brevemente, os seus passos fundamentais: começa com a leitura (lectio) do texto, que suscita a interrogação sobre um autêntico conhecimento do seu conteúdo: o que diz o texto bíblico em si?  Sem este momento, corre-se o risco que o texto se torne somente um pretexto para nunca ultrapassar os nossos pensamentos.

Segue-se depois a meditação (meditatio), durante a qual nos perguntamos: o que nos diz o texto bíblico?  Aqui cada um, pessoalmente mas também como realidade comunitária, deve deixar-se sensibilizar e pôr em questão, porque não se trata de considerar palavras pronunciadas no passado, mas no presente. 

Sucessivamente chega-se ao momento da oração (oratio), que supõe a pergunta: que dizemos ao Senhor, em resposta à sua Palavra?  A oração enquanto pedido, intercessão, ação de graças e louvor, é o primeiro modo como a Palavra nos transforma. 

Finalmente, a lectio divina conclui-se com a contemplação (contemplatio), durante a qual assumimos como dom de Deus o seu próprio olhar, ao julgar a realidade, e interrogamo-nos: qual é a conversão da mente, do coração e da vida que o Senhor nos pede?  São Paulo, na Carta aos Romanos, afirma: " Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, a fim de conhecerdes a vontade de Deus: o que é bom, o se lhe é agradável e o que é perfeito" (12,2)

De fato, a contemplação tende a criar em nós uma visão sapiencial da realidade segundo Deus e a formar em nós "o pensamento de Cristo" (1Cor 2,16). Aqui a Palavra de Deus aparece como critério de discernimento: ela é "viva, eficaz e mais penetrante que uma espada de dois gumes; penetra até dividir a alma e o corpo, as junturas e as medulas e discerne os pensamentos e intenções do coração" (Hb 4,12). Há que recordar ainda que a lectio divina não está concluída, na sua dinâmica, enquanto não chegar à ação (actio), que impele a existência do fiel a doar-se aos outros na caridade.

Estes passe encontramo-los sintetizados e resumidos, de forma sublime, na figura da Mãe de Deus. Modelo para todo o fiel de acolhimento dócil da Palavra divina, Ela " conservava totalmente estas coisas, ponderando-as no seu coração" (Lc 2, 19;cd.2, 51), e sabia encontrar o nexo profundo que une os acontecimentos, os atos e as realidades, aparentemente desconexos, no grande desígnio divino."

Não matarás

Misericórdia, segundo  Caldas Aulete, é o "sentimento de dor e solidariedade causado pela miséria alheia".

Para a civilização judaico-cristã, a que construiu o progresso e vigorou no ocidente até pouco tempo,  a misericórdia é um dos principais atributos da Pessoa divina, capaz de bondade infinita. Para  sentir o seu efeito, tanto  em sentimento para com  outras pessoas, ou se considerando alvo dela, é necessário estar de alguma maneira próximo a Deus, por iniciativa própria ou pela intercessão ou intermediação de alguém que a peça e receba de Deus, para si ou para outrem.

A humanidade, cada vez mais distante de Deus, rejeita  Sua Lei, da qual faz parte o mandamento: “Não matarás”. Por consequência, tem mais e mais, se submetido a leis impostas por meros e falhos seres humanos que têm produzido mais e modernas formas de assassinatos. Muitos membros da humanidade (e é cada vez maior o número deles)  vivem hoje, na prática,  sob a retrógrada  lei de talião, a que diz: "olho por olho, dente por dente”.

Certamente, isto não é culpa de Deus! Quem despreza a fonte da bondade, que é Deus, não pode cobrar de outros que tenham tenham misericórdia, para consigo ou para  quem quer que seja. 

Para onde caminha a humanidade, se a misericórdia é cada vez mais um artigo de luxo, coisa de privilegiados que continuam  a se relacionar com Deus, ou que ainda  preservam um certo sentimento  herdado de pais ou avós? E se considerarmos, ainda, que tais pessoas são contínuo alvo de desprezo, e até de injúria, da maioria dos que se manifestam?

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Êxodo, o filme de Ridley Scott.





A alma humana é sempre a mesma, muda apenas o cenário, em cada época.   Quando se fala em humanidade, os valores étnicos, que, no fundo, são os mesmos da Ética, sempre estarão a se manifestar, mesmo e até,  belicamente, nos mais diversos  tipos de guerra.

O filme, do diretor Ridley Scott,  faz uma leitura da mensagem que impulsionou o progresso no mundo ocidental ao longo da História usando  a tecnologia e liguagem de  hoje.  Reitera a mensagem  de que  tudo o que aprendemos de nossos antapassados continua atual e os preceitos que os moveram são os mais eficazes. 

(Re)Descobrir esses valores, e fazer uso deles, pode ser a chave do segredo que cada pessoa humana busca desvendar para encontrar a razão e plenitude da sua existência.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Dia dos Santos Reis




Hoje é dia dos três reis magos, a festa da Epifania, que  é a manifestação de Deus feito homem às nações e culturas do mundo.
 "A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria.  Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra.”- Mt 2, 10 -11-


"Tendo, pois, Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que magos vieram do oriente a Jerusalém. Perguntaram eles: Onde está o rei dos judeus que acaba de nascer? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo.  A esta notícia, o rei Herodes ficou perturbado e toda Jerusalém com ele.  Convocou os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo e indagou deles onde havia de nascer o Cristo. Disseram-lhe: Em Belém, na Judéia, porque assim foi escrito pelo profeta: E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre as cidades de Judá, porque de ti sairá o chefe que governará Israel, meu povo(Miq 5,2). Herodes, então, chamou secretamente os magos e perguntou-lhes sobre a época exata em que o astro lhes tinha aparecido. E, enviando-os a Belém, disse: Ide e informai-vos bem a respeito do menino. Quando o tiverdes encontrado, comunicai-me, para que eu também vá adorá-loTendo eles ouvido as palavras do rei, partiram. E eis que e estrela, que tinham visto no oriente, os foi precedendo até chegar sobre o lugar onde estava o menino e ali parou. A aparição daquela estrela os encheu de profunda alegria.  Entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra.  Avisados em sonhos de não tornarem a Herodes, voltaram para sua terra por outro caminho."- Mt 2, 1-12 -

Ao longo dos tempos, cada cultura celebra a festa da Epifania segundo seu folclore. Nos Andes latino-americanos a festividade é cantada assim:


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Primeira sexta-feira do ano

Jesus: Agradeço -vos, almas fiéis, minhas íntimas, o bálsamo que derramastes sobre as minhas chagas.               É o vosso Deus, o vosso Rei, o vosso Pai, o vosso Amigo,sou Eu, o Filho da Imaculada, quem vos fala e vem ter convosco...                                                              É o meu Coração, Sol e amor, que nasce sobre este altar, trazendo-vos seu calor e a sua luz para o ano que principia...  Venho a vós cheio de bens para vos encher deles, para me  empobrecer a Mim, se isso fosse possível, confiando-vos todos os meus tesouros...  Venho a vós como nuvem carregada de um dilúvio de graças que quero derramar sobre vós e vossas famílias, ao nascer deste ano novo, para ele ser ano de graças para vós todos...     Mas espero ainda uma palavra da vossa boça...    Abri vós mesmos o Tabernáculo do meu Coração. Pedi sem receio, falai... Que favor solicitais dos tesouros da minha misericórdia.                            

Trecho da hora santa do mês de janeiro do livro "Hora Santa" do Pe. Mateu  Crawley- Boevey SS. CC editado e distribuído gratuitamente pela Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola.