domingo, 1 de abril de 2018

Proclamação da Páscoa

Texto do início da Missa Solene de Proclamação da Páscoa.



Tela de Noël Coypel, postado no Facebook por Alexandre Dan Zwicker Cartianu


Exulte o céu e os anjos triunfantes,
Mensageiros de Deus desçam cantando;
Façam soar trombetas fulgurantes,
A vitória de um Rei anunciando.

Alegre-se também a terra amiga,
Que meia há tantas luzes resplandece;
E vendo dissipar-se a treva antiga,
Ao som do eterno Rei brilha e se aquece.

Que a Mãe Igreja alegre-se igualmente,
Erguendo as velas deste fogo novo,
E escute, reboando de repente,
O aleluia cantado pelo povo.

E vós, que estais aqui, irmãos e queridos,
Em torno desta chama reluzente,
Erguei os corações,
E assim unidos invoquemos o Deus onipotente.

Ele, que por seus dons na reclama,
Quis entra que entre os seus levitas me encontrasse:
Para cantar a glória desta chama,
De sua luz um raio me trespasse!

– O Senhor esteja convosco.

 Ele está no meio de nós.

– Corações ao alto.

 O nosso coração está em Deus.

– Demos graças ao Senhor nosso Deus.

 É nosso dever e nossa salvação.

Sim, verdadeiramente é bom e justo
Cantar o Pai de todo o coração,
E celebrar seu filho Jesus Cristo,
Tornado para nós o novo Adão.
Foi ele quem pagou do outro a culpa,
Quando por nós à morte se entregou:
Para pagar o antigo documento,
Na cruz todo o seu sangue derramou.

Pois eis agora a Páscoa, nossa festa,
Em qual o real Cordeiro se imolou:
Marcando nossas portas, nossas almas,
Com seu divino sangue nos salvou.
Esta é, Senhor, a noite em que o Egito
Retirastes os filhos de Israel,
Transpondo o mar Vermelho a pé enxuto,
Rumo a terra onde correm leite e mel.

Ó noite em que a coluna luminosa
As trevas do pecado dissipou,
E aos que creem no Cristo em toda a terra
Em novo povo eleito congregou!
Ó noite em que Jesus rompeu o inferno,
Ao ressurgir da morte vencedor:
De que nos valeria ter nascido
Se não nos resgatasse em seu amor.

Ó Deus, quão estupenda caridade
Vemos no vosso gesto fulgurar:
Não hesitais em dar o próprio Filho
Para a culpa dos servos resgatar.
Ó pecado de Adão indispensável,
Pois Cristo o dissolve em seu amor;
Ó culpa tão feliz, que há merecido
A graça de um tão grande Redentor!

Só tu, noite feliz,
Soubeste a hora em que o Cristo da morte ressurgia;
E é por isso que de ti foi escrito,
A noite será luz para o meu dia!
Pois esta noite lava todo o crime,
Liberta o pecador do seus grilhões;
Dissipa o ódio e dobra os poderosos,
Enche de luz e  paz os corações.
Ó noite de alegria verdadeira,
Que prostra o Faraó e ergue os Hebreus,
Que une de novo ao céu a terra inteira,
Pondo treva humana a luz de Deus.

Na graça desta noite o vosso povo
Acende um sacrifício de louvor;
Acolhei, ó Pai Santo, o fogo novo:
Não perde, ao dividir-se, o seu fulgor.
Cera virgem de abelha generosa
Ao Cristo ressurgido trouxe a luz:
Eis de novo a coluna luminosa,
Que o vosso povo para o céu conduz.

O círio que acendeu as nossas velas
Possa esta noite toda fulgurar;
Misture sua luz à das estrelas,
Cintile quando o dia despontar.
Que ele possa agradar-vos como o Filho,
Que triunfou da morte e vence o mal:
Deus, que a todos acende no seu brilho
E um dia voltará, sol triunfal.


sábado, 31 de março de 2018

Lola, Serva de Deus, Floripes. Vídeo



Detalhes significativos da vida de Lola, a Serva de Deus, Floripes Dornelas de Jesus, cantada por Fábio Coelho Gomes em música de sua autoria.


Saiba mais sobre a Lola

Entrevista do Pe. Paulo Dionê Quintão, sobre a Lola, na Rede Vida

Vídeo do Programa Tribuna Independente, da Rede Vida de Televisão, que entrevistou o Padre Paulo Dionê Quintão, que foi diretor espiritual da Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola nos seus últimos anos, pouco depois de sua morte, em abril de 1999. Este vídeo foi gravado por uma pessoa devota do Sagrado Coração de Jesus, no dia em que foi ao ar, algum tempo depois do falecimento de Lola, ainda no ano de 1999. Na época esperava-se que fosse o início da divulgação da vida de santidade da Lola pela Igreja. Cem por cento da população de Rio Pomba, MG, e os riopombenses em todos os lugares tinham como certo este raciocínio. Mas infelizmente isto não aconteceu. Em 2007 uma cópia dele caiu em nossas mãos, como um tesouro de valor espiritual inesgotável, como se, de repente, por meio dele, Deus resolvesse despertar seu povo com esse verdadeiro "banho" da Sua Presença, de Verdade e do Seu Amor, acontecidos tão sutilmente na vida da Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola. Assistindo-o é como se voltássemos à "aurora da nossa vida", regada à fé, esperança e caridade. Por um tempo nos limitamos a "reparti-lo", um a um, com os amigos mais chegados, por respeito aos ditos direitos autorais, de produção e de imagem relativos à sua produção. Porém, 12 anos depois, acreditamos que tenha chegado o tempo de partilhar esta riqueza espiritual com quem interessar possa. Nosso coração tem ardido de maneira tal que faz ver os empecilhos, os direitos legais, apenas como detalhes a serem tratados pessoalmente pelo Sagrado Coração de Jesus com os interessados. N'Ele confiamos que todas as pessoas que participaram da sua produção jamais se sintam prejudicadas por divulgarmos seu trabalho tão edificante, que traz tão grandes benefícios que somente Deus será capaz de pagar. Assim, resolvemos "jogar na rede" um trabalho que, acreditamos ter sido dirigido pelo Espírito Santo (quem o assistir com os olhos da fé, com certeza o confirmará), apoiados no que dizia Santa Terezinha do Menino Jesus, que o Espírito Santo é sempre o verdadeiro autor das obras feitas em prol do Reino de Deus. Segundo esta visão, Ele é, portanto, o produtor deste filme que parece conter a isca capaz de fazer-nos mergulhar no oceano de Amor e Verdade do Coração de Jesus, que é divinamente onipotente e humanamente sensível, no qual nenhum coração humano é capaz de sentir o menor desconforto. Esta é a verdade tão bem comprovada pela vida da Lola quanto ela foi tão bem descrita pelas pessoas no vídeo. Façamos uso do nosso direito de batizados, tomemos um banho do amor carinhoso de Deus assistindo a este filme. Depois de assisti-lo, com certeza nos sentiremos pessoas revigoradas na fé, na esperança e na caridade, virtudes que nossos pais e avós tanto fizeram uso para fazer de nós o que somos, e que devemos muito cultivar, se quisermos que vida no planeta continue a ser Vida, como aprendemos que fosse, coisa de verdadeiros seres capazes de, na plenitude da performance de sua condição humana, interagir com Deus, a exemplo da Lola.




Saiba mais sobre a Lola

sexta-feira, 30 de março de 2018

Jesus Cristo




Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos. (Is 53, 4)

Nunca seremos suficientemente gratos.
Relembrar o que Ele viveu, e sofreu, para a nossa salvação, é uma forma de reconhecer, valorizar e assimilar a coerência do Seu Amor.



segunda-feira, 19 de março de 2018

Quaresma libertadora





Sabe por quê essas tenebrosas notícias corajosamente divulgadas por Gustavo Pires Küster serão consideradas Fake News pelas autoridades envolvidas, e pela imprensa mainstream, a que controla a cultura no nosso País e no mundo?

Porque durante décadas temos sido vítimas das Hiddens News, as notícias escondidas, as que nos foram sonegadas, tanto pelas autoridades como pela imprensa, parte integrante da verdadeira "elite dominante” instalada no  controle de  tudo, e cuja fome de poder e controle tem sido cada vez maior. 

Todos esses horrores acontecem há décadas, e nos têm sido sordidamente escondido. Nossa Igreja não é a Igreja da Verdade,  que é o próprio Senhor Jesus Cristo?   Se tudo isso é bom e correto aos olhos de Nosso Senhor,  se faz realmente parte da doutrina da Igreja, se está de acordo com os santos e doutores da nossa fé ao longo de mais de dois milênios, por que tem sido  camuflada,  escondida do povo, a grande afinidade de  importantes líderes da Igreja com a doutrina marxista, totalmente antagônica a ela?

Se tivéssemos recebido tais informações na medida em que os fatos foram acontecendo,  ou se pelo menos pudessem ter sido  expostas e debatidas as dúvidas de alguns loucos  que ousavam demandar explicações, certamente não teríamos chegado à situação tão degradante, no sentido real do termo. Um pesado e solene cala a boca, é o que sempre recebeu quem ousava perguntar algo “inoportuno”…

Fato é que nossa Igreja, nossa religião, na qual nascemos e sob cujos paradigmas e valores fomos formados, assim como nossos pais, tem sido degradada lentamente por pessoas que  ocupam postos  associados à sua defesa,  proteção e fomento.

O objetivo da publicação desses fatos não é fazer acusações a quem quer que seja, apenas  conferir a cada pessoa católica o direito de saber sob qual espírito tem sido regida a vida eclesial.

Neste doloroso pedaço do CAMINHO,  ao tomarmos consciência de que temos sido alvo de covarde manipulação, nos apoiamos em Nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da Igreja, que é a própria VERDADE, e o único  capaz de nos libertar da confusão em que  temos sido mergulhados.  

Misturar Amor de Deus, confundido com amor ao próximo (que é derivado do próprio amor a Deus) com objetivos mundanos e degradantes para toda a humanidade, tem sido a arma usada contra a nossa boa fé.  A arma da confusão, da promiscuidade, que mistura  santidade com profanação; a arma do lusco-fusco, que pretende injetar as trevas da dúvida na clareza da fé por meio de sofisticadas estratégias psicopedagógicas. 

Essa mesma arma que fez tombar tantos sacerdotes e bispos, também como vítimas.  Essa ardilosa investida de Satanás, inimigo de Deus que transforma sacerdotes do Deus da Harmonia em instrumentos do seu caos.   Por tal arma, o Papa Leão XIII, já em 1891, previamente sofria e, portanto, mandou que fosse rezada a oração de São Miguel Arcanjo ao final de cada missa, em todo o planeta. E contra esse mesmo perigo Nossa Senhora advertia, em Fátima, há 100 anos, e pedia orações constantes.

Hoje sentimos os efeitos de um mundo em que Deus é marginalizado e estaria prestes a ser excluído da Sua Própria Igreja. Parece que certas autoridades consideram o amor ao próximo mais importante do que o amor a Deus. Elas  tratam das coisas espirituais com uma maneira de ver natural, sob o ponto de vista dos valores humanos, como se tudo dependesse das ordens dadas pelas autoridade delas, e que nós, pobres leigos, por dever de obediência,  seríamos obrigados a  acatar. Tudo seria simples, assim.

No entanto, para o povo católico, as pessoas se tornam autoridades devido ao CARÁTER ESPIRITUAL conferido ao seu cargo. Se tais autoridades desprezam esse caráter espiritual em favor de uma atuação na vida natural, reivindicando apenas bens materiais; se vilipendiam as orações, a vida de piedade, o trato com as Igrejas padecente e triunfante; se perseguem os que reivindicam esses bens intangíveis, acusando-os de diversas maneiras e tentando incutir neles culpa por não aceitarem que o pecado seja considerado uma forma de bem; se não conferem a eles a mesma misericórdia que exigem para com os pecadores que praticam atos condenados pelo próprio Jesus Cristo; se procuram diluir a imagem de Cristo no meio do pecado, que se torna cada vez mais aceitável, que tipo de  submissão esperam de nós? 

Seriamos uma manada de imbecís pronta a obedecer, ainda que as ordens sejam dadas contra o reinado de Nosso Senhor Jesus Cristo e o vigor da Sua Doutrina na Igreja? 

Diante dessa dolorosa situação de ignomínia, nós católicos corremos com grande intensidade para Nosso Senhor Jesus Cristo, o Senhor da Igreja. Pedimos auxílio ao mundo espiritual, no qual sempre nos sentimos muito à vontade, graças à nossa capacidade de viver no espirito,  algo que funciona em nós  de maneira semelhante ao que acontece com os anfíbios, somos capazes de outra forma de vida, a espiritual, infinitamente rica, e que, por isso a lembrança deste fato tem sido abafada   por obra dos  que desejam, veementemente,  sua extinção. Querem que regridamos a uma forma inferior de vida, sem Deus, sem os prazeres do espírito.  Assim, seríamos mais facilmente controláveis.

Pois bem, as forças espirituais não nos faltaram.  No mundo espiritual, temos incontáveis aliados que se tornaram poderosos  por se encaixarem, enquanto aqui nesta vida, quase perfeitamente no plano de Deus, com uma sintonia tal com Ele que se tornaram seus aliados de primeira hora, cujos pedidos o Todo Poderoso se apraz em atender.  A eles, muitos de nós tem pedido o auxílio da intercessão junto a Ele, que certamente se faz,  agora, sentir.

A  confirmação da dolorosa notícia da infiltração marxista na Igreja  é, verdadeiramente resposta de muitas orações. A Própria Verdade vem nos libertar “de tanta falsidade, de tanto impuro ar”, como aprendemos a cantar na nossa juventude, em cânticos que já tencionavam nos conduzir por caminho diferente…

Deus é verdadeiramente misericordioso. O que temos visto e ouvido nesta quaresma o tem comprovado. Com certeza, a manhã da Ressurreição nos trará a verdadeira Igreja, numa vida nova com Cristo, por Cristo e em Cristo. Pois, uma vez que temos padecido dolorosamente com Ele, por Ele e Nele, por longos e dolorosos anos, com Ele ressuscitaremos. 

domingo, 11 de março de 2018

Sobral Pinto: Teologia da Libertação- O materialismo marxista na teologia espiritualista -



Prefácio do livro:  Teologia da Libertação - O materialismo marxista na teologia espiritualista - – Editora Lidador – Rio de Janeiro, RJ. – 1984.



Autor:   Heráclito Sobral Pinto   -   Um dos mais reconhecidos juristas do nosso país, tendo caracterizado as sua atividades públicas e profissionais pela defesa intransigente do respeito à Lei e à Justiça, e aos Direitos Humanos fundamentais, não tendo jamais discriminado entre seus clientes, sexo, cor, filosofia ou religião. Defendeu inúmeros perseguidos políticos das mais variadas correntes ideológicas ( inclusive das que combateu intransigentemente no plano filosófico e das ideias),especialmente durante os períodos de governo autoritário no país, como nos regimes do Estado Novo (1937/1945) e pós revolucionário (1964 ) . Dentre a gama variada de clientes, nestes casos os líderes comunistas Luiz Carlos Prestes e Henry Berger. Era católico fervoroso, de comunhão diária.

Sobral Pinto também foi agraciado com a Comenda de Cavalheiro da Ordem de São Gregório Magno conferida pelo Papa João Paulo II em dezembro de 1980:






  O Prefácio do seu livro:

    Código de Direito Canônico, recentemente promulgado por sua Santidade João Paulo II, Papa, preceitua no Cânone 209 § 1º:

"Os fiéis são obrigados a conservar sempre, também no seu modo particular de agir, a comunhão com a Igreja."

Esta comunhão com a Igreja é definida com clareza e precisão no Cânone 212 -- § 1º, nos seguintes termos:

"Os féis, conscientes das próprias responsabilidades, estão obrigados a aceitar com obediência cristã o que os sagrados Pastores, como representantes de Cristo, declaram como mestres da fé ou determinam como guias da Igreja."

É dever, então, de todo fiel, clérigo ou leigo, adotar, obedientemente, a fé definida pelo Magistério da Igreja e seguir, com idêntica disposição, a orientação e vida determinada pelo mesmo Magistério.

Não param nestes dois pontos as obrigações dos fiéis católicos, clérigos ou leigos. O já referido Cânone 212, no § 3, estatui categórica e lucidamente:

“De acordo com a ciência, a competência e o prestígio de que gozam, têm o direito e às vezes até o dever, de manifestar aos Pastores sagrados a própria opinião sobre o que afeta o bem da Igreja e, ressalvando a integridade da fé e dos costumes e a reverência para com os Pastores e levando em conta a utilidade comum e a dignidade das pessoas, dêem a conhecer essa opinião também aos outros fiéis."

Quando assim um fiel da igreja adquiriu, pelo estudo sério e legítimo, o conhecimento de que uma idéia, uma teoria, uma doutrina é incompatível com a fé cristã e, portanto com a teologia tradicional da Igreja Católica, é seu dever transmitir esse conhecimento aos outros fiéis, clérigos e leigos da sua Igreja.

Por obrigação de minha atividade profissional, ví-me na necessidade, desde mais de 50 anos, de estudar com seriedade, nas fontes, a filosofia, a sociologia e a política do marxismo. Isto desde a época em que a Rússia Soviética planejava a promoção da revolução mundial como condição imprescindível para a implantação vitoriosa, no seio da humanidade, do comunismo universal, em substituição ao imperialismo capitalista burguês.

Recolhi desse estudo o conhecimento certo de que o marxismo é absolutamente incompatível com a fé cristã e, por conseqüência, inteiramente impossível de ser utilizado pela teologia tradicional da Igreja Católica.

  
Com efeito, o marxismo afirma:

1º - que só a matéria existe;

2º - que o espírito como substância própria, independente da matéria não existe;

3º - que Deus não existe, tendo sido criado pelo homem à sua imagem e semelhança;

4º - que a vida sobrenatural, e as criaturas espirituais, não existem, sendo criações de poetas e de místicos exaltados;

5º - que a evolução da humanidade, do homem primitivo ao homem civilizado, nada tem com uma quimérica Providência, sendo antes, o resultado da "Potência decisiva dos fatos materiais, das forças materiais, das necessidades materiais", causas únicas, todas, de caráter econômico, responsáveis exclusivas das transformações da humanidade no curso da história;

6º - que o homem é puramente material, não sendo de nenhum modo imortal sua alma;

7º - que a lei fundamental da história é a luta de classe, que se expressa pela revolução dos oprimidos pelos opressores;

8º - que a religião, sobretudo a cristã, promete aos oprimidos compensadora recompensa num sobrenatural quimérico, caracterizando-se, assim, como o ópio do povo, devendo por isto, ser implacavelmente hostilizada e destruída.

    
Tais afirmações são, clara e categoricamente, contrárias às verdades da fé cristã, uma vez que as repelem e negam.


Os fiéis da Igreja, clérigos e leigos, instruídos pela fé, afirmam:

1º - que, além da matéria, existe também o espírito;

2º - que o espírito como substância própria, independente da matéria, tem existência real;

3º - que Deus existe, tendo criado o homem à sua imagem e semelhança;

4º - que a vida sobrenatural e as criaturas espirituais existem;

5º - que a evolução da humanidade, do homem primitivo ao homem civilizado, é obra generosa da Providência Divina, inspirada, pelos meios que lhe são próprios, á capacidade criadora da inteligência humana;

6º - que o homem é composto de matéria e espírito, sendo imortal a sua alma;

7º - que a lei fundamental da história é a cooperação das classes sob os preceitos severos da Justiça;

8º - que a religião cristã é de criação divina e de aceitação humana.

  
Adquirida, pelo estudo e exame das respectivas fontes, consoante os trabalhos que integram o texto deste opúsculo, a certeza da total e irredutível incompatibilidade do marxismo com a fé cristã, era de meu dever levar, respeitosamente, o resultado desse estudo e desse exame ao conhecimento do Pastor da minha Igreja Particular e aos outros fiéis, como determina o Cânone 212 § 3º do Código de Direito Canônico.

Demonstro, assim, que a publicação deste modesto opúsculo, com a provação expressa do Pastor da minha Igreja Particular de São Sebastião do Rio de Janeiro, Cardeal Dom Eugênio de  Araújo Sales, tem a única finalidade de advertir os católicos, clérigos e leigos, sem nenhum intuito polêmico, que a nossa fé e portanto, a teologia tradicional da nossa Igreja são absolutamente incompatíveis com o marxismo, em si e em todas as suas análises, teorias e doutrinas, por isto que este tem como único alicerce e fundamento, confessado abertamente, o mais puro, consciente e intransigente materialismo.
            

Neste sincero e leal opúsculo, deixei-me guiar, única e exclusivamente, por esta sábia advertência do  Santo Padre João Paulo II aos Bispos do Zaire em visita "ad limina": 

“São evidentemente possíveis algumas posições doutrinárias diferentes e mais ou menos legítimas. Mas são sem dúvida conscientes de um perigo: o de deixar que se constitua uma filosofia e um teologia da "africanidade" meramente autóctones e sem qualquer sem qualquer relação real e profunda com Cristo. Em tal caso, o cristianismo já não será mais que um ponto de referência simplesmente verbal, um elemento acrescentado artificialmente. 

A Europa medieval conheceu também alguns aristotélicos  que de cristãos não tinham mais que o nome, como, por exemplo, os Averroístas, que foram vigorosamente combatidos por São Tomás de Aquino e por São Boaventura. Atualmente existe o perigo nas tentativas feitas para constituir um hegeglianismo ou um marxismo pretensamente cristãos."( L'observatore Romano - Edição semanal em Português - 15 de maio de 1983 - pág. 4 - Não se pode delegar o Magistério da Igreja. )

O recentíssimo documento da Sagrada Congregação Para a Doutrina da Fé sobre a infiltração marxista na teologia da Igreja confirma, em tudo por tudo, o acerto dos trabalhos que o presente opúsculo divulga. Confio em que os católicos, clérigos e leigos, que se dignarem a tomar deles conhecimento, perceberão com nobreza o elevado e superior intuito que os inspirou: a defesa coerente e simples da pureza da fé católica.
                                              
                        Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1984.

                                      Heráclito  Sobral Pinto


quinta-feira, 8 de março de 2018

Uma grande mulher



A Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola, marcou a vida das pessoas da região de Rio Pomba,MG, onde viveu.

Os fundamentemos, a visão de mundo, os valores que pautaram a vida dos avós e pais da geração atual foram fermentadas pela sua vida de oração. Todos, ainda que indiretamente, recebem influencia dela.

Vida de oração quer dizer abertura de coração, mente e espírito (memória, inteligência vontade) para que sejam elevados, pelo Espírito Santo, acima da vida material e corriqueira que levamos. Contemplar os fatos do dia a dia à luz da fé, que não somente ela professava, mas também, praticamente  todas as pessoas que compunham o meio ambiente na época em que ela viveu.

Na presença de Deus estava noite e dia. Não precisava comer, beber, nem dormir. Seu corpo biológico também se alimentava diretamente de Deus, por meio do Sacramento da Eucaristia. Tal  fenômeno, que acontecia pela vontade de Deus, a qual ela servia com toda docilidade, era óbvio para os habitantes da cidade e para as autoridades eclesiásticas que tinham por ela um especial respeito e carinho.

Nesse grau de contínua elevação espiritual, ela mantinha um estreito relacionamento com o Sagrado Coração de Jesus. Graças ao convívio com a própria Sabedoria, ela, apesar de pouquíssimos estudos, desenvolveu poderoso tino  e grande perspicácia, os quais usava para gerir, ali do seu leito de paralítica, o seu sítio. Mas todo o seu interesse focava  em ter o suficiente para divulgar a devoção aos Sagrado Coração de Jesus. Importava muitíssimo, para ela, fazê-lo conhecido. Porque sabia que uma vez O conhecendo seria impossível, a um ser humano, deixar de amá-lO.  Uma vez O conhecendo e O amando, entraria na posse de uma vida de paz, amor e alegria. Era isso que ela desejava para todos os seus irmãos da espécie  humana. Por isso orava e agia, como podia.

Sua atuação em tal empresa foi tão concreta e eficaz que ainda hoje nos alimentamos do fruto de seu exemplo, do seu testemunho,  que parece ser tão arcaico, e ao mesmo tempo capaz de existir num futuro ainda longínquo, no qual as pessoas se alimentarão diretamente de pura energia, que os católicos têm como Deus, fonte e autor da vida. Ou seja, Lola pode ser vista como um elo entre os tempos mais remotos do catolicismo, preservando o mesmo espirito de oração, a fonte de sabedoria de Santo Agostinho, Santa Gertrudes, Santa Margarida Maria Alacoque e Santa Francisca Xavier Cabrini, e um futuro esplendoroso, o futuro descrito  no capitulo 21 do livro do Apocalipse.

O mundo hoje parece muito distante desse mundo real, porém intangível aos sentidos do corpo biológico. Padece de uma imensa fome de sentido espiritual para conduzir uma vida que tem se tornado cada vez mais pesada, onde somente são considerados os valores materiais.

O  conhecimento da vida singela e singular da nossa Lola poderá  despertar almas que talvez nem se deem conta de que existem, como seres superiores, criados à imagem e semelhança do Deus Todo Poderoso que tudo criou, e mantém existindo as mais diferentes formas de vida. Descobrirão, então, que podem se relacionar com Ele, usando a mesma técnica que a Lola: a oração. Com toda certeza, farão coisas ainda mais surpreendentes do que os muitos milagres que o povo de Rio Pomba e redondeza conta que  foram recebidos por meio das orações da Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola.

Giselle Neves Moreira de Aguiar