segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Advento





"Alegre-se a terra que era deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 
Germine e exulte de alegria e louvores. 
Foi-lhe dada a glória do Líbano, o esplendor do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus.

Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”.

Então se abrirão os olhos dos cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos, assim como brotarão águas no deserto e jorrarão torrentes no ermo. A terra árida se transformará em lago, e a região sedenta, em fontes d’água; nas cavernas onde viviam dragões crescerá o caniço e o junco.

Ali haverá uma vereda e um caminho; o caminho se chamará estrada santa: por ela não passará o impuro; mas será uma estrada reta em que até os débeis não se perderão. Ali não existem leões, não andam por ela animais depredadores, nem mesmo aparecem lá; os que forem libertados poderão percorrê-la, os que o Senhor salvou voltarão para casa. 

Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhando em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto”". (Is 35,1-10)

Que ideologia pode superar essa esperança?
Quem pode realizar estas maravilhas sem ser Deus?

A quem devemos seguir e obedecer, a Deus, origem de tudo, ou à pobres criaturas que desejam reinar em Seu lugar?

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Aprendendo com os macabeus


"Naqueles dias, brotou uma raiz iníqua, Antíoco Epífanes, filho do rei Antíoco. Estivera em Roma, como refém, e subiu ao trono no ano cento e trinta e sete da era dos gregos. 
Naqueles dias, apareceram em Israel pessoas ímpias, que seduziram a muitos, dizendo: “Vamos fazer uma aliança com as nações vizinhas, pois, desde que nos isolamos delas, 
muitas desgraças nos aconteceram”. Estas palavras agradaram, e alguns do povo entusiasmaram-se e foram procurar o rei, que os autorizou a seguir os costumes pagãos. 

Edificaram em Jerusalém um ginásio, de acordo com as normas dos gentios. Aboliram o uso da circuncisão e renunciaram à aliança sagrada. Associaram-se com os 
pagãos e venderam-se para fazer o mal. Então o rei Antíoco publicou um decreto para todo o reino, ordenando que todos formassem um só povo, obrigando cada um a abandonar seus costumes particulares. 

Todos os pagãos acataram a ordem do rei e inclusive muitos israelitas adotaram sua religião, sacrificando aos ídolos e profanando o sábado. No dia quinze do mês de Casleu, no ano cento e quarenta e cinco, Antíoco fez erigir sobre o altar dos sacrifícios a Abominação da desolação. E pelas cidades circunvizinhas de Judá construíram altares. Queimavam incenso junto às portas das casas e nas ruas. 

Os livros da Lei, que lhes caíam nas mãos, eram atirados ao fogo, depois de rasgados. Em virtude do decreto real, era condenado à morte todo aquele em cuja casa fosse encontrado um livro da Aliança, assim como qualquer pessoa que continuasse a observar a Lei. 

Mas muitos israelitas resistiram e decidiram firmemente não comer alimentos impuros. Preferiram a morte a contaminar-se com aqueles alimentos. E, não querendo violar a aliança sagrada, esses foram trucidados. 
Uma cólera terrível se abateu sobre Israel."
Primeiro livro dos Macabeus  - (1Mc 1,10-15.41-43.54-57.62-64) -


Esta é a primeira leitura da missa de hoje. Os dois livros dos Macabeus  narram o acontecido no período entre os anos 175 e 135 a.C.

Observemos como o texto poderia estar contando quase a realidade que hoje vivemos, as consequências da atitude do povo em relação a Deus.

Seria muito bem ler (ou reler) esses livros da Sagrada Escritura,  os dos Macabeus, neste tempo que chega, o do Advento. Com toda certeza, com esta leitura,  nossos corações estarão mais preparados para receber as bênçãos da celebração do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, e tomar posse de todo o Bem que Ele conquistou para nós, e que nossa atual cegueira nos impede ver.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

São Judas Tadeu

No dia 28 de outubro, a Igreja  celebra  a festa de São Judas Tadeu.


Na Igreja de Santana, em Sorocaba, SP, neste ano, aconteceu uma novena em honra do santo muito querido na cidade.  A devoção se deve ao monge beneditino Dom Tadeu Strunck O. S. B., que trouxe sua devoção e construiu a capela do santo junto à Igreja de Santana, anexa ao mosteiro. 

Eis oração da novena:


São Judas Tadeu, apóstolo de Cristo, eu vos louvo pela fidelidade e amor com que cumpristes  vossa missão. 

Chamado e enviado por Jesus sois uma das doze coluna que sustentam a verdadeira Igreja fundada por Jesus Cristo. 

Inúmeras pessoas, imitando vosso exemplo e auxiliadas por vossa oração, encontram o caminho para o Pai, abrem o coração aos irmãos e encontram forças para vencer o pecado e superar todo o mal. 

Quero imitar-vos comprometendo-me com Cristo e com Sua Igreja, por uma decidida conversão a Deus e ao próximo. 

E, assim, convertido, assumirei a missão de viver e anunciar o Evangelho, como membro ativo de minha comunidade. 

Espero, então, alcançar de Deus a graça que imploro, confiando na vossa poderosos a intercessão.

São Judas Tadeu, rogai por nós!

Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai.

sábado, 21 de outubro de 2017

A elite mundial e o catolicismo



Observe: 
Estão acontecendo intensos ataques ao modo cristão de vida.

A vitória de Trump nos EUA, a queda do PT no Brasil, o quase extermínio da Venezuela e outros sinais políticos emitidos no mundo têm feito a “elite global” intensificar em número e em intensidade as agressões ao ecossistema familiar que vigora no planeta há muitos milênios.

Esse termo “elite global” pode se referir tanto aos comandantes da conhecida emissora que quer pautar as consciências brasileiras, quanto à elite das maiores riquezas do  planeta, que deseja gerir o mundo todo comprando as mídias mais importantes de cada lugar e patrocinando movimentos a favor de minorias no universo democrático, com o intuito de valorizá-las a ponto de subjugar a maioria. 

Isso configura o extermínio da democracia por meio de lavagem cerebral feita em doses homeopáticas. O que temos visto nas últimas décadas. 

A eleição de Trump significa o estancamento das fontes de recursos, de todos os tipos, as mais efetivas, direcionados a essa “causa” que os mais poderosos do mundo decidiram que seja boa; como vinha acontecendo nos governos Clinton e Obama. Somado aos sinais de repulsa a essa ideia, acontecidos em vários lugares do mundo, a  a vitória de Trump fez tremer as bases dessa sofisticada engenharia social,  que  se viu obrigada a  não poupar munição. Agora, as agressões acontecem em doses cavalares.

O esforço para se conseguir o genocídio das consciências para que as pessoas possam se tornar cada vez mais dóceis a comandos cada vez mais sutis, está diretamente proporcional à violência mostrada no final da novela da Globo, ontem, eclipsada pelo foco nos finais felizes apesar de tanto sofrimento produzido ao longo de toda a novela. Passa-se meses exibindo agressões e violência ao modus vivendi dos telespectadores, e no final tudo fica bem. Morfina para consciência.

Infelizmente, até dentro da própria Igreja estamos sentindo, aqui e ali, a presença, não tão mais tão sutil, de incentivos e estímulos, disfarçados de caridade cristã, de maneira a impelir os fiéis a aceitar benignamente a agenda imposta pelos veículos de comunicação e da hegemônica produção cultural. Sem falar nos “eventos” que têm acontecido nas escolas, especialmente  em  consideradas católicas.


Este artigo, publicado no ano passado, durante a campanha presidencial americana, mostra um pouco do terrorismo chique a estamos sendo submetidos. Parece que a novidade está tentando se estabelecer aqui…

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

O Cura d'Ars

 No dia  quatro  de agosto,  a Igreja celebra a memória de São João Maria Vianney, o Cura d'Ars, que viveu de 1786 a 1859.  Ele foi um padre francês  a quem custou muito  ser ordenado sacerdote. Era visivelmente limitado intelectualmente e e quase não pôde receber as notas mínimas em filosofia, teologia, latim e grego necessárias para receber o sacramento da Ordem.



Conseguiu à base muito esforço pessoal, da benevolência de seus professores e superiores mas, sobretudo, do poder emanado de Deus pelas mãos de Nossa Senhora, do qual era muito devoto e a quem pedia a graça de ser sacerdote.
Quando o conseguiu, foi enviado para o lugarejo chamado Ars, no qual duas ou três velhinhas perfaziam o total dos frequentadores das missas.

Começou ali a exercer o seu ofício de sacerdote com naturalidade e a alegria de ter conseguido ser o que queria, segundo os critérios da sua fé. Com o tempo as pessoas foram aproximando-se, cada vez em maior número, até que chegou o dia em que vinham de todos os cantos do país. Diziam ele que convertera meia França ao catolicismo.

Sua popularidade chegou à Sorbonne, importante universidade de Paris, de onde saiu um professor para entrevistá-lo, com o objetivo de fazer um estudo sobre a grande capacidade de comunicação daquele homem tão rústico. 

Diante de tantas perguntas do professor que queria colocar em termos pragmáticos os mistérios da fé católica, o padre respondeu com toda a simplicidade: 

– “Não posso explicar-lhe, o senhor é ignorante”. 

E o professor disse, indignado:
– “Como posso ser ignorante se sou professor da Sorbonne?” 

Ao que o padre respondeu: 
 “O senhor pode ser professor em muitos assuntos, mas não conhece nada de Jesus Cristo, sua doutrina e sua Igreja. Se quiser, posso lhe ensinar o catecismo”.

Existem saberes e saberes...

Orações para após a Bênção do Santíssimo Sacramento



ATO DE LOUVOR 

- Bendito seja Deus. 
- Bendito seja o seu Santo Nome. 
- Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. 
- Bendito seja o nome de Jesus. 
- Bendito seja o seu Sacratíssimo Coração. 
- Bendito seja o seu Preciosismo Sangue. 
- Bendito seja Jesus no Santíssimo Sacramento do altar. 
- Bendito seja o Espírito Santo Paráclito. 
- Bendita seja a grande mãe de Deus, Maria Santíssima. 
- Bendita seja sua Santa e Imaculada Conceição. 
- Bendita seja sua gloriosa Assunção. 
- Bendito seja o nome de Maria, Virgem e Mãe. 
- Bendito seja São José, seu castíssimo esposo. 
- Bendito seja Deus, nos seus anjos e nos seus santos. 

Oração

Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre, o papa, sobre o nosso bispo, sobre o nosso pároco e todo o clero, sobre o chefe da Nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas 
em dignidade para que governem com justiça. 

Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei com os efeitos contínuos de vossa bondade o Brasil, este (arce) bispado, a paróquia em que habitamos, cada um de nós em particular e todas as 
pessoas por quem somos obrigados a rezar ou que se recomendaram as nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. 


(Pai nosso, Ave-maria, Glória ao Pai)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Bênção para os avós. Festa de Sant'Ana e São Joaquim


26 de junho, festa de Sant’Ana e São Joaquim, os avós de Jesus Cristo, o pais de Nossa Senhora.





Bênçãos  para avós

Deus eterno e misericordioso, Pai de todas as gerações, que escolhestes Joaquim e Ana para serem avós de Jesus, derramai as vossas bênçãos sobre todos os avós.

Sejam fortalecidos pela vossa graça, para transmitir às gerações mais novas a história da nossa salvação e a experiência da Vossa ternura.

Sejam iluminados pelo vosso Espírito para partilharem com os mais novos a sua sabedoria e a sua fé, as suas alegrias e esperanças.

Sejam configurados com Cristo para que nas dificuldades dos seus dias encontrem alegria na comunhão familiar, ânimo no cuidado dos netos, e paz no seu mundo.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém!