domingo, 12 de abril de 2015

Segundo domingo da Páscoa : A Festa da Misericórdia Divina

No segundo domingo da Páscoa acontece na Igreja  “A Festa da Misericórdia Divina”.

O dia de nos sentirmos atingidos pela imensa e forte onda de amor que nos vem do Sagrado Coração de Jesus. 


Essa onda, a que tem o poder de atingir nossos corpos, almas, mentes e corações nos livrando de tudo o que nos impede de sermos, e portanto nos sentirmos, verdadeiramente amados, queridos e abençoados filhos de Deus, pelos méritos de Nossos Senhor Jesus Cristo. 

Depois desse choque de real e verdadeiro amor, seremos habilitados a produzir as obras de misericódia em favor do nosso próximo. Por Ele, com Ele e nEle. 

Tudo por Vós ó Sagrado Coração de Jesus! Dizia continuamente a nossa querida Lola.

Assista a esses dois frutos vídeos para conhecer, e tomar posse, das infinitas graças que são derramado sobre nós:

Jesus Misericordioso - A Divina Misericórdia 1/2

Jesus Misericordioso - A Divina Misericórdia 2/2




sábado, 11 de abril de 2015

Fotos do sítio da Lola

Fotos de Gilson Moreira Neves, sócio fundador da AACL - Associação dos Amigos da Causa da Lola -  na página do Facebook. Ele as publicou com texto: "Ambiente bucólico, divino e cheio de virtudes em que Lola viveu...".



Foto Gilson M. Neves - A casa da Lola


Foto de Gilson M. Neves - Belíssimo enquadramento que mostra o contexto da vida da Lola: lugar bucólico e abençoado:  casa , natureza exuberante com céu de muita luz.
Foto Gilson M. Neves - Interior da casa da Lola


 Foto de Gilson Moreira Neves - A cama em que Lola passou a maior parte da sua longa vida. Ao fundo a janela que dava para um  ambiente rural, com toda a exuberância que lhe  permitia  estar em sintonia com a natureza. Ela dizia que gostava de  rezar com os passarinhos de dia e com os grilos e sapos, à noite.


Foto da internet, autor desconehcido- Lola como vivia, no local. 




Altar defronte a cama de Lola.
Ela passava todo o tempo ( nunca dormia) contemplandoe adorando Jesus Eucarístico.

Foto Gilson M. Neves -  Na primeira vinda do Papa João Paulo II ao Brasil,  em 1980, Lola ganhou uma televisão.
Teve grande alegria em acompanhar as celebrações. Foi ali que assistia os programas do Padre Roque Scheneider na Rede Vida, de divulgação da devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Nomeou-o seu herdeiro.

Foto Gilson Neves - Foi colocada uma porta-grade na entrada do quarto. As pessoas jogam "bilhetes" pedindo e agradecendo graças por interecessão da querida "Santa Lola". 



quinta-feira, 9 de abril de 2015

Nove de abril, dia da Lola.


Sua vida mostrava as maravilhas que Deus pode operar através de uma pessoa, mesmo que ela seja mulher, pobre, sem cultura acadêmica, reclusa na área rural, doente, paralítica, idosa e vivendo em clausura permanente. 

Ela tinha todos os motivos para se sentir excluída, marginalizada, e, portanto revoltada, se pretendesse se enquadrar no discurso das pregações modernas. 

No entanto, pessoalmente, era a pessoa mais feliz da face da terra. Não tinha carência absolutamente de nada.  Não precisava nem mesmo de comida e bebida material. Esse fato era apenas um insignificante detalhe para ela. 

Não sentia falta de nada. Tinha o Próprio Deus junto de si.  


 Nove de abril é feriado em Rio Pomba, MG.  Sua filha mais ilustre, a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, conhecida como Lola, morreu há 16 anos. 
Considerada santa,  ela  viveu cerca de 60 anos sem nenhuma necessidade fisiológica. Não comia, não bebia, não dormia. Vivia em constante adoração ao Santíssimo Sacramento,  rezando pelas necessidades de todos.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Lola, uma mulher que vivia de Deus - 6 -

  Lola tinha várias caixas com incontáveis santinhos marcados com as novenas que as pessoas faziam.  As pessoas alcançavam as graças e depois mandavam de volta para ela o santinho, com todos os espaços preenchidos com as datas das comunhões reparadoras. 

 Ela sentia que aquele era o seu tesouro: verdadeiros atestados de que o Sagrado Coração de Jesus estava feliz com as pessoas que fizeram as novenas, e as pessoas muitíssimo felizes por terem alcançado suas graças. O seu tesouro era um arquivo de felicidade! 


Saiba mais sobre Lola, a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus

Lola, uma mulher que vivia de Deus - 5 -

Lola  demonstrava ser uma exímia comunicadora.

 Mesmo presa à sua cama e distante da cidade, era instrumento do Sagrado Coração de Jesus 
 para chegar a inúmeros corações que precisassem de  uma atenção especial Dele, os  que careciam de oração.

Os bilhetes e os recados eram tão, ou mais, eficazes na sua comunicação com os queridos do Coração de Jesus como internet é hoje. Ela os usava magistralmente.

 Todo nove de abril, sua cidade, Rio Pomba,MG, comemora, com um feriado, o dia sua chegada ao Céu, depois de um longo tempo ali, servindo a todos, recolhida em oração.

A cidade se sente importante, por  sua filha tão especial. 



  Mesmo depois de ter deixado de receber visitas, por ordem do senhor arcebispo, ninguém padecia de dor alguma, no corpo, na alma ou no coração que não pudesse ser aliviada com um bilhete escrito à  Lola, pedindo-lhe orações. 

Bilhetes, levados pelos sacerdotes e ministros da comunhão eucarística que lá iam levar-lhe o Sacramento. 
Ninguém ficava sem resposta. 

Ela mandava de volta uma palavra de conforto, esperança, e principalmente confiança, no poder e no amor do Sagrado Coração de Jesus; 

junto, algum livrinho de orações, um terço e um “santinho” para marcar as nove comunhões reparadoras das primeiras sextas-feiras. 

Mandava dizer que estava rezando junto, que a pessoa confiasse que o Sagrado Coração de Jesus daria alívio e conforto.

Saiba mais sobre a Lola, a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus

terça-feira, 7 de abril de 2015

Lola, uma mulher que vivia de Deus - 4 -



Nove de abril, dia da Lola. feriado em Rio Pomba. Um dia, em cada ano, a cidade festeja sua filha.
Como era o meio ambiente  social no tempo em que Lola viveu na querida Rio Pomba?
Por que os avós e pais dos rio-pombenses são pessoas tão queridas?



Nos anos 50 e no início dos 60 do século XX, a existência de uma “santa” na cidade era algo natural e simples. 

Sendo a população quase toda formada por católicos, tinha-se a consciência de que Deus Se mostrava presente e cuidava de cada pessoa com grande desvelo e carinho. 

Com toda simplicidade, os habitantes de  Rio Pomba e das cidades vizinhas, simplesmente aproveitavam, com respeito e  humildade, as graças que recebiam, assim como os  muitos milagres, que  jamais  conseguiriam entender, muito menos explicar.

A caminhada da cidade até o “sítio da Lola” durava mais ou menos quarenta minutos, mas podia-se ir de táxi. Naquele tempo, haviam poucos carros na cidade.  Os visitantes, assim como o povo da cidade, usavam  bastante “os carros de praça”, cujos motoristas contavam uma infinidade de graças alcançadas, pelas inúmeras pessoas que lá iam, e voltavam, nos seus automóveis. Todos, passageiros e motoristas, tinham  grande prazer em contar as maravilhas de Deus.        

Saiba mais sobre  Lola,  a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus                                                                                                       

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Lola, uma mulher que vivia de Deus - 3 -



Tendo ficado paralítica, por volta dos 18 anos,  por causa da queda de uma árvore, 
 passou a se exercitar nas orações, estreitando os laços com Deus.Quanto mais o fazia menos necessidades materiais  tinha,  a ponto de não precisar mais nenhum alimento, nem água, nem sono.

Pensarem que ela fosse morrer, ela também. Mas sua vivacidade só aumentava.
Tinha palavras de sabedoria e conforto para quem fosse vê-la, pendo orações.

 Com o passar do tempo, as romarias foram aumentando.  Recebia as pessoas dia e noite. O senhor arcebispo proibiu então as romarias o que  permitiu que ela pudesse se tornar uma incansável adoradora do Santíssimo Sacramento, pois recebera também dele a permissão de tê-lo, num altar no seu quarto.

Saiba mais sobre Lola, a Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus