terça-feira, 28 de agosto de 2012

Santo Agostinho e a Eucaristia



 Santo Agostinho, pensador de renome, nos mostra como vê a Eucaristia, neste texto extraído do seu livro As Confissões:


Abandono em Ti, Senhor, as minhas preocupações  para que possa viver e admirar as maravilhas da tua lei.

Tu conheces a minha ignorância e a minha fraqueza; ensina-me e fortalece-me.

Aquele que é o Teu Unigênito, em quem se encontram escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência, redimiu-me com o seu sangue.

Que não me caluniem os soberbos, porque  eu conheço bem qual foi o preço do meu resgate: a sua Carne e o seu Sangue, que eu como e bebo ( e distribuo), e dos quais a minha pobreza deseja saciar-se juntamente  com os que têm fome e se saciam, os que  louvam o Senhor, os que O buscam. . .



 Alimentar-se diretamente do Deus que dá a própria vida é figurada no fato de que o pelicano, em tempo de penúria, arranca as penas do peito e alimenta os filhotes com o próprio sangue.

Santo Agostinho neste texto traduz o que é sentir-se alimentado pelo próprio corpo e sangue de Jesus Cristo na Eucaristia.


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O significado da Missa

Para saber, exatamente o que é a missa, assista a esses dois  curtos vídeos

Neles,  que duram pouco menos de10 minutos cada, Dom Fulton Sheen nos dá uma ideia concreta do que é a Santa Missa.É importante assistir aos dois; no primeiro ele dá o significado, no segundo eleexplica o que acontece conosco ao participarmos dela.












domingo, 19 de agosto de 2012

Quaresma ou quarentena de São Miguel Arcanjo.



Trata-se de uma oração feita durante quarenta dias pedindo a Deus, uma ou mais graças especiais por intercessão de São Miguel Arcanjo.
Começa-se no dia 15 de agosto e vai até 29 de setembro, quando a Igreja comemora a festa dos Santos Arcanjos São Miguel, São Gabriel e São Rafael, os três únicos anjos cujos nomes são mencionados na Bíblia.

Podemos fazer duas orações bem simples, e rezá-las durante os próximos quarenta dias:

Uma dirigida à Santa Mãe de Deus e Rainha dos Anjos:


Augusta Rainha dos Céus e Senhora dos Anjos,
Vós que desde o princípio recebestes de Deus o poder e a missão de esmagar a cabeça 
 de satanás ( Gên 3, 15), nós vos pedimos humildemente: enviai vossas santas legiões para que elas, sob o vosso poder e vossas ordens persigam os infernais espíritos, combatendo-os por toda parte, confundam sua audácia e os precipitem no abismo.

Quem é com o Deus?
Ó boa e terna Mãe, vós sereis sempre nosso amor e nossa esperança.
Ó Mãe de Deus, enviai vossos santos anjos para nos defender e repelir para longe de nós o cruel inimigo.

Santos Anjos e Arcanjos socorrei-nos e defendei-nos!


E outra dirigida aos Santos Arcanjos:



Oração aos Arcanjos:São Miguel, São Gabriel e São Rafael

Ajudai-nos ó grandes santos, que sois servos como nós, diante de Deus!
Defendei-nos de nós mesmos, de nossa covardia e tibieza, de nosso egoísmo e de nossa ambição, de nossa inveja e desconfiança, de nossa avidez em procurar a saciedade, a boa vida, a estima!

Desatai as algemas do pecado e do apego a tudo que passa.
Desvendai os nossos olhos que nós mesmos fechamos para não precisar ver as necessidades de nosso próximo e poder, assim, ocupar-nos de nós mesmos, numa tranquila autocomplacência.

Colocai em nosso coração o espinho da santa ansiedade por Deus para que não deixemos de procurá-lO com ardor, contrição e amor!

Ajudai-nos a conhecer a Deus, a adorá-lO e sevi-lO!
Ajudai-nos no combate contra os poderes das trevas que traiçoeiramente nos envolvem e nos afligem!
Ajudai-nos para nenhum de nós se perca e para que, um dia, estejamos todos jubilosamente reunidos na eterna bem-aventurança!

São Miguel assisti-nos com vossos santos anjos; ajudai-nos e rogai por nós.
São Gabriel assisti-nos com vossos santos anjos; ajudai-nos e rogai por nós.
São Rafael assisti-nos com vossos santos anjos; ajudai-nos e rogai por nós.

Deus deu a nosso respeito ordens aos anjos e eles proteger-nos-ão em todos os nossos caminhos.”-Salmo 90 -
      
  Oremos: Concedei-nos ó Deus, Pai Eterno e Todo Poderoso, o auxílio de vossos Anjos e Exércitos Celestes, a fim de que, por eles, sejamos preservados dos ataques de Satanás; e pelo preciosíssimo sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo e pela intercessão da Santíssima Virgem Maria, libertos de todos os perigos (para o corpo, para a  alma, para a mente e o coração) possamos servir-vos na paz e na alegria. 
Por Nosso Senhor Jesus Cristo,
 Amém.





sábado, 18 de agosto de 2012

Defendendo os mais fracos, sempre.


Arcebispo defende direito à vida de bebê da filha estuprada pelo pai

  Notícia publicada no Jornal Diário de Sorocaba do dia 18 de agosto de 2012, disponível em: http://www.diariodesorocaba.com.br/site2010/ler2.php?id=665
            O arcebispo metropolitano de Sorocaba, dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, classifica como uma verdadeira tragédia, em nota emitida ontem à tarde pela Cúria Metropolitana, a notícia da gravidez de uma adolescente da Zona Norte, em nossa cidade, vítima do próprio pai, assim como classifica igualmente de verdadeira tragédia a consequente decisão de abortamento, mesmo com consentimento da Justiça e de acordo com a legislação penal brasileira. “Fere a sensibilidade ética da sociedade”, afirma o Arcebispo. 

A íntegra da nota emitida a propósito pelo arcebispo dom Eduardo Benes é esta:

            “A notícia, uma verdadeira tragédia, da gravidez de uma adolescente, vítima do próprio pai, e da consequente decisão de abortamento, fere a sensibilidade ética da sociedade.
           
            A vida humana começa na concepção e, no quarto mês de gestação, o bebê já mede 9 centímetros. Aparenta uma miniatura humana, com pálpebras, nariz, boca e ouvidos completamente formados. Os dedos das mãos e dos pés estão nitidamente separados e desenvolvidos. Pode-se ver os vasos sanguíneos através da pele, pois ainda está transparente devido à falta de melanina, e os três vasos do cordão umbilical.
           
            É meu dever de Arcebispo advertir que católicos que participarem do processo que concretiza o aborto cometem um pecado gravíssimo e ficam excluídos da comunhão eclesial, conforme o Direito da Igreja: Quem provoca aborto, seguindo-se o efeito, incorre em excomunhão latae sententiae, pelo próprio fato de cometer o delito e nas condições previstas pelo Direito da Igreja.

            Com isso, a Igreja não quer restringir o campo da misericórdia. Manifesta, sim, a gravidade do crime cometido, o prejuízo irreparável causado ao inocente morto, a seus pais e a toda sociedade. Peço à Comissão Arquidiocesana de Defesa da Vida e exorto as pessoas que tenham contato com a família que se esforcem por todos os meios para apoiar a gestante e sua família no sentido de evitar o crime do aborto, que ceifa uma vida humana e deixa marcas negativas profundas na alma da gestante.

 - Sorocaba, 17 de agosto de 2012 –

Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues                                  
- Arcebispo de Sorocaba”.

            Esta notícia nos remete à carta de São Paulo aos romanos quando diz:" Mas onde abundou o pecado, superabundou a graça ( Rom 5, 20)". Dentro da notícia tão dolorosa , encontramos a palavra firme do Arcebispo instruindo e orientando os fiéis da igreja em tão delicada situação.
             Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo, cuja misericórdia invocamos para todas as pessoas envolvidas nesta situação, inclusive nós porque somos parte da mesma família dos filhos de Deus e tudo o que acontece a um membro dela atinge a todos.



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A Santa Ceia e a marca Cavalera


Postei, no Facebook,  um link do jornal Folha de São Paulo link do jornal Folha de São Paulo que traz a reportagem:


Cavalera recria Santa Ceia com Pitty e Sidney Magal


com o seguinte comentário:


Um verdadeiro deboche do que é sagrado para todos os cristãos. Agressão gratuita.Uma marca que precisa apelar tanto para ser notada é porque não tem valor nem qualidade.


Respeito é bom e todo mundo gosta!


Houve quem dissesse que não procedia esta observação, porque a Santa Ceia é apenas um quadro, uma obra de arte.  Respondi então que:


O quadro da Santa Ceia transcende ao fato de ser uma obra de arte.É um ícone, um signo de grande importância para a cultura cristã.Os autores desse comercial, ao usarem da liberdade de expressão artística, tendo como base a Santa Ceia mesmo que de maneira 'desconstruída', correm o risco de serem duramente criticados pelos que têm o quadro como signo religioso.


Nas democracias as coisas acontecem assim, todos têm o direito de manifestar suas ideias desde que arquem com todas as consequências.


Assim como os produtores do comercial se vêm no direito de divulgá-lo, nós nos vemos no dever, de defender nossos valores sagrados dos que, embora cultos e bem dotados de dons artísticos, se comportam como bárbaros quando o assunto é religiosidade. 


Falta-lhes a sensibilidade de perceber que tal obra pode ofender a alguém em um aspecto da vida que para eles não existe.



segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Nossa Padroeira





          por Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, Arcebispo de Sorocaba.
Artigo publicado na edição impressa do jornal Cruzeiro do Sul, de Sorocaba,SP, e disponível em: http://www.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=410253



No próximo dia 15, aniversário de criação do povoado de Sorocaba em 15 de agosto de 1654, celebramos a festa de Nossa Senhora da Ponte, cuja imagem, chegada ao Brasil em 1771, é um símbolo expressivo da presença da Mãe de Deus em nossa Igreja e na alma de nosso povo.

Invocar Nossa Senhora como “da Ponte”, qualquer que seja a origem dessa devoção, nos remete ao lugar ocupado pela mãe de Jesus, na obra de nossa Redenção.

Não há como evitar que nos venham à mente todos os momentos narrados no evangelho da participação de Maria na missão salvífica de Jesus.Jesus é o Sumo Pontífice, ou seja, a grande Ponte entre o céu e a terra, vale dizer entre o Pai e a humanidade. Mas para fazer a passagem, para ser o Pontífice dos bens futuros, o Verbo deveu nos chegar pelo ventre de Maria de quem o Pai, pelo ministério do arcanjo Gabriel, aguardou a resposta: “faça-se em mim segundo a tua palavra”. E, então, “o Verbo se fez Carne  e habitou entre nós.”

Desde então a mãe esteve unida ao Verbo feito carne no operar a salvação da humanidade. É impossível também não recordar o episódio das bodas de Caná quando Maria, sentindo a aflição da família que celebrava as bodas de seu filho, se dirigiu a Jesus, dizendo: “eles não têm mais vinho”. Jesus pergunta “o que a mim e a ti, mulher?”(em tradução literal). E logo depois afirma: “Ainda não chegou a minha hora”. Mas Jesus faz o milagre e salva a festa.

O sentido, entretanto, da pergunta de Jesus “o que isso tem a ver conosco” (tradução pelo sentido) com a sequente afirmação “ainda não chegou a minha hora” revela que entre a “Mulher”, Maria, e Ele existe uma relação muito profunda que vai se revelar quando chegar a “Hora”. Quando chegou a “Hora” -- é o mesmo evangelista João que narra -- lá estava a ”Mulher”, de pé ao pé da Cruz. Foi quando Jesus lhe disse: “Mulher, eis aí o teu filho”, e, dirigindo-se logo ao discípulo,: “Eis aí tua mãe”. Como não ver na expressão “Mulher” uma referência ao texto de Gênesis 3,15: “porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a descendência dela”?

A Virgem Maria é a primeira resgatada por Cristo, preservada do pecado para unir-se a Ele na nossa salvação, participando do resgate de toda a humanidade, representada por João ao pé da cruz, a ponto de ser proclamada, pelo próprio Cristo, mãe dos resgatados, no instante mesmo em que o redentor consumava sua existência salvífica.

Os padres da Igreja - primeiros escritores cristãos - chamaram Maria de “a Nova Eva” e São Bernardo, com muita acuidade, ao comentar a lancetada que transpassou o coração de Cristo, já morto, viu-nos nascer, como filhos de Deus, também do coração de Maria, onde somente de fato foi sentida a dor que rasgara o coração do crucificado.
Se a Igreja nasceu do coração transpassado de Cristo, donde jorrou sangue e água, símbolos do batismo e da eucaristia, todos nascemos também do coração de Maria que, ali estava de pé, em atitude de total entrega com Jesus à vontade do Pai.

A Igreja Católica, firmada, nas Escrituras, representa Maria Santíssima, com muitas imagens, ora apresentando suas virtudes e sua participação singular na obra de nossa redenção, ora representando suas manifestações extraordinárias na vida do povo cristão. O primeiro fruto da redenção de Cristo, operada na Cruz, foi a redenção de Maria, por preservação do pecado original, e o fruto final, sua glorificação pela assunção, em corpo e alma, aos céus.

O caminho e o destino final da humanidade de Jesus são também o caminho e o destino final dos que o seguem. Em Maria tudo acontece com total perfeição, e por primeiro. A ressurreição de Jesus foi vivida por ela com a mesma intensidade com que viveu seu sacrifício redentor ao pé da cruz. Não houve aparições de Jesus ressuscitado a Maria.

Ela viveu em sua alma a ressurreição de Jesus no mesmo instante em que Ele ressuscitava. Sua alegria foi intensa, mais plena ainda do que aquela vivida quando do mistério da encarnação do Verbo pela atuação do Espírito Santo. Sustentou os apóstolos na expectativa da vinda do Espírito Santo (At 1,14) e, com certeza, esteve com eles, animando-os, nos inícios da missão.

Unida ao Cristo no caminho de sua existência terrena como mãe e como singular cooperadora, a Ele está unida, plenamente remida, na glória do céu, onde nos precedeu e de onde nos acompanha com sua intercessão permanente.

Se Cristo intercede permanentemente por nós, com certeza ela o acompanha também nessa intercessão, como o acompanhou até o ato extremo de amor com que Cristo se ofereceu por nós na Cruz.

No próximo dia 15 estaremos celebrando na Catedral a festa de Nossa Senhora da Ponte que esteve visitando as paróquias de nossa Arquidiocese. Sua imagem lembra-nos sua presença de mãe na vida de nossa Igreja e de nossa cidade.Que Ela, a Mãe, abençoe seu Povo!


terça-feira, 7 de agosto de 2012

A eterna era do rádio


 Loc1 – A eterna era do rádio: O papel da radiotransmissão na nossa vida.

Loc2- Uma leitura da importância das funções do rádio no texto de Giselle Aguiar; vamos ouvir:            

A era do rádio veio para ficar. Com certeza, a tecnologia será sempre usada para se acessar uma boa estação de rádio, não importa em que tempo for. Especialmente o radiojornalismo estará sempre presente. Com os recursos das novas tecnologias o radio pode ser usado para dar conhecimento do que acontece em todo o planeta, em tempo real.

Acontece, pelo rádio, um fenômeno que nos permite estar plugado ao resto da humanidade por meio das notícias. As transmissões nos unem aos que sofrem com as catástrofes naturais, com as guerras e as injustiças, pelos relatos de ações sofridas por nossos semelhantes assim como nos fazem vibrar com suas vitórias e conquistas. As faltas e crimes cometidos pelos que são pagos para defender os interesses do povo acionam o nosso senso de cidadania.

Grande benefício é poder ouvir matérias jornalísticas que abordam assuntos importantes, em profundidade, enquanto realizamos outras tarefas que não demandam nossa total atenção.

O rádio faz vibrar nossa inteligência pela sensibilidade atingida por uma bela música, faz nosso coração palpitar de emoção com a vitória ou derrota do time da nossa devoção.

Falando em devoção, até a fé o rádio ajuda; quantos são os que se sentem mais próximos de Deus ouvindo uma pregação via ondas sonoras transmitidas à distância?

O rádio é um grande benefício ao alcance de todos os que têm a felicidade de ouvir, número que, confiamos, atingirá em breve a todos os seres humanos por meio do progresso das ciências e tecnologia. Ouvi isso no rádio!
                    -Giselle Aguiar para Jornalismo UNISO.


Texto produzido para aula prática de Radiojornalismo, disciplina ministrada pelo Prof. Fernando Negrão na UNISO, Universidade de Sorocaba, em 02/2012


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Reparando, amenizando a dor de Deus...



O Sagrado Coração  de Jesus é uma pessoa. E como pessoa, sente tudo o que uma pessoa criada à sua imagem e semelhança sente.           

É a pessoa do Deus soberano e criador de todas as coisas visíveis e invisíveis que se dignou nascer, viver e morrer como ser humano para dar a todo integrante da espécie a graça de ser filho de Deus como Ele, e, por consequência o direito de gozar de todas as prerrogativas que essa filiação representa.            

Conhecedor, na carne, das mazelas humanas, temeu pela fragilidade de seus irmãos de raça, expostos a tantos motivos para desprezar o seu amor e generosidade; decidiu, então, estar com eles de maneira física, no Santíssimo Sacramento da Eucaristia. Por este sacramento e por meio da graça da transubstanciação, as espécies do pão (hóstia) e do vinho se transformam em Seu corpo e Seu sangue.                                    
            
A Hóstia Consagrada é Jesus Cristo em pessoa, com toda a sua humanidade e divindade, graças à qual ele pode exercer esse poder para estar com as pessoas, a quem ama até ser capaz de morrer por elas em cada missa, que revive o terror do seu Calvário, para se tornar seu alimento, para alimentá-las diretamente de si com todas as virtudes que lhes sejam necessárias para enfrentar e vencer, como filhos de Deus, as batalhas normais deste estágio de vida, ao mesmo tempo em que se tornam uma só pessoa com Ele pela comunhão no seu Amor. Esse amor explícito e material que confirma e fortalece a dignidade humana dos filhos de Deus.            

No entanto, quanto mais adquire ciência, conhecimentos sobre os mecanismos de como Deus criou o mundo, quanto mais evolui na própria semelhança com o Pai, mais o ser humano se parece com Adão, que O rejeitou ao se sentir superior às outras criaturas. Considera que seus atributos criados o fazem tão poderoso quanto o Criador cuja existência já chega a colocar em dúvida,  acredita que pode  dEle se abster.            

A pessoa de Jesus Cristo, continuamente presente na Eucaristia sente todo esse desprezo, seu Coração humano sente muito mais por nós humanos, do que por Ele mesmo, sente uma dor que se parece com a dor de pais quando  vêm seus filhos desprezarem seu amor e seus cuidados enquanto muitas vezes sofrem as consequências dos desvarios naturais humanos. Só que a dor dEle é infinitamente maior, porque sua compreensão é infinitamente maior.            

Pessoas como a Lola, a Serva de Deus Floripes Dornelas deJesus, eram sensíveis o suficiente para sentir esta dor de Jesus, devido ao seu contínuo contato com Ele, a ponto de ter como alimento somente a Sagrada Eucaristia, o que prova a consistência divina que traz esse alimento que fortalece, de maneira indizível, o corpo e a alma, porque são partes da mesma pessoa.            

Então, Lola passava grande parte de seu tempo em orações com esta:

                             Ato de reparação

 Divino Coração de Jesus, nós aqui vimos, num pensamento de fé, reparação e amor, deplorar a vossos pés as nossas infidelidades e as de todos os pobres pecadores, nossos irmãos. Dignai-vos aceitar o pequeno tributo das nossas consolações, nós vo-lo pedimos, pelo Coração Imaculado de Maria.

Do esquecimento e ingratidão dos seres humanos
Nós vos consolaremos Senhor

Do desamparo do Santíssimo Sacramento,
Nós vos consolaremos Senhor

Dos crimes dos pecadores,
Nós vos consolaremos Senhor

Dos ódios dos ímpios,
Nós vos consolaremos Senhor

Das blasfêmias com que vos ultrajam,
Nós vos consolaremos Senhor

Dos sacrílegos profanadores do sacramento do vosso Amor,
Nós vos consolaremos Senhor

Das imodéstias e irreverências em vossa adorável presença,
Nós vos consolaremos Senhor

Das traições de que sois vítima adorável,
Nós vos consolaremos Senhor

Da frieza da maior parte de vossos filhos,
Nós vos consolaremos Senhor

Do desprezo dos auxílios da graça com que amorosamente nos prevenis,
Nós vos consolaremos Senhor

Das infidelidades dos que se dizem vossos amigos,
Nós vos consolaremos Senhor

Do abuso das vossas graças,
Nós vos consolaremos Senhor

Das nossas próprias infidelidades,
Nós vos consolaremos Senhor

Da frouxidão em vos amar,
Nós vos consolaremos Senhor

Da nossa tibieza em vos servir,
Nós vos consolaremos Senhor

Da profanação do santo dia do domingo,
Nós vos consolaremos Senhor

Da tristeza amarga em que vos prostra a perda das almas,
Nós vos consolaremos Senhor

Das esperas indefinidas à porta do nosso coração,
Nós vos consolaremos Senhor

Das amargas recusas que afligem o vosso coração,
Nós vos consolaremos Senhor

Ela nunca "arredou o pé" da função que abraçava com tanto esmero: atrair as pessoas ao amor do Coração de Jesus e ao mesmo tempo reparar as faltas dos que não querem saber dEle. Ela sentia a necessidade de  fazer Jesus sentir que deve, Ele mesmo, defender seus irmãos de perigos cada vez maiores e assustadores...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Abdução ( sobre Yêdda Neves Moreira Rosa)


                                                 
                                                       Para a Dêda, Yedda Neves Moreira Rosa
                                                               minha querida irmã e madrinha.

Este texto diz respeito ao falecimento de uma pessoa que amava com toda intensidade o Sagrado Coração de Jesus. Seu afeto por Ele era derivado do amor a Ele dedicado pela Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus, a Lola. Fundadora e grande entusiasta da AACL. Em seus últimos dias, gastou suas últimas forças andando de casa em casa, pedindo assinaturas em prol da Causa de Beatificação da Lola.


Foi tudo muito rápido. Despediu-se do cachorro, orientou o jardineiro e saiu.
        
Por um tempo curto sentiu-se ameaçada, assustada, como uma criança no momento de ser parida. Mas logo depois se sentiu mergulhada naquela atmosfera verde, que tantas vezes descrevera e que lhe era de agradabilíssima lembrança.De outra vez, quando ali estivera,se sentira extremamente magoada com aqueles que a tiraram dali, os médicos que a salvaram de uma grave crise cardíaca.




Era tão bom, podia expandir-se indefinidamente. Não tinha mais limites. Era só dar vazão a si mesma.Ficou certo tempo assim.
        
De repente o verde foi clareando-se, e cada vez mais. E seus olhos, agora virtuais, iam se acostumando pouco apouco com a intensidade cada vez maior de luz. Então ela viu-se onde jamais sua imaginação, sempre tão rica, poderia alcançar:

Todo o seu ser estava diluído, gaseificado. Fazia ela mesma parte daquele imenso Todo, ao mesmo tempo em que sua identidade era, paradoxalmente, cada vez mais evidenciada.

Sua percepção foi se aguçando mais e mais e ela foi, aos poucos, reconhecendo as outras identidades com quem dividia e, ao mesmo tempo, usufruía junto daquela delícia indizível.

A alegria e o bem estar eram maiores do que a consciência do que estava acontecendo. Ainda assim, ela percebeu que acabara de chegar ao Céu. Todas as suas faculdades estavam em festa. Nada como aquela sensação maravilhosa de ser livre de todos os limites impostos pelo corpo biológico. Estava mergulhada no Sumo Bem.

Por mais que quisesse, jamais poderia sentir falta de algo material. Nem mesmo das pessoas queridas, das quais deixara o convívio corpóreo. Estar mergulhada no Onipresente significa estar concomitantemente com todos os queridos, os quais ela sente o quanto são amados. Vive o pós-confiança.
        
Para o Céu levou, como não poderia deixar de fazer, as suas características mais evidentes. (Ali ficou sabendo que eram através delas que mais agradava ao Soberano). Assim, sua espontaneidade quase infantil sobressaía ainda mais.
        
Foi movida por ela, a espontaneidade, que se chegou a todos os rio-pombenses com os quais havia convivido aqui. Falou-lhes com seu habitual entusiasmo. Confabularam. Resolveram então, “corporativamente”, “seduzir” o Sagrado Coração de Jesus, em pleno Céu!
        
Para o evento, cada um deles apresentou seu corpo virtual revestido de seus méritos, dos pontos fortes de suas famílias, das ferramentas com as quais trabalhara no exílio da Terra pelo Reino de Deus. (Evocavam assim as mais ricas e significativas lembranças, num Deus tão apaixonado pelo povo deste planeta que pelo qual  foi  capaz de passar pela aventura da encarnação, nascimento, vida e morte de um ser humano comum, além de se sujeitar à condição de hóstia, só para ter seu povo junto de si. Desvario de quem pode!)

Embora ela  não precisasse, pois ninguém se movimenta melhor do que ela agora, os rio-pombenses do Céu “carregavam” a Lola acima de todos eles. Como um esplendoroso destaque, um troféu valiosíssimo. Apresentaram-se assim, juntos, diante do Deus Altíssimo!

Sem precisar dizer nenhuma palavra, conseguiram maravilhar os olhos humanos do Sagrado Coração de Jesus. E as doces lembranças movimentaram o Seu Coração tão humano quanto o nosso. Sim, porque Ele e sua Mãe Santíssima possuem corpos no Céu, gloriosos, mas corpos!
       
Aquela visão proporcionava tamanha alegria, movia tanto o Coração de Deus, que o Céu seria pequeno para contê-lo. Precisava extravasar como um imenso vulcão de amor.
        
- Que faço desta lava ardente de Amor puríssimo? Perguntou o Deus Soberano. Vocês provocaram esta erupção, portanto são responsáveis por suas consequências. Se querem aproveitar esta energia de pura vida digam-me como e onde a derramo. Mas tem que ser agora.
       
Todos olharam para a Lola, e, a um piscar de olhos desta, nossa amiga, de quem falávamos no início, tomou a palavra, exultante:
        
- Coração adorado de Jesus, queremos, juntos, pedir que Vossa bondade derrame toda essa lava de Amor ardente sobre a nossa querida Rio Pomba. Nós, daqui, nos deliciaremos em ver seus efeitos:
         
Nossos descendentes atingidos por esse tsunami de Amor, não poderão deixar de trilhar o mesmo Caminho que trilhamos, movidos pelo mesmo Espírito, norteados pelos mesmos valores, dando continuidade e aprimoramento à deliciosa aventura de lutar bravamente pelo Reino da Verdade.
       
Agora, mais ainda, sabemos que, somente comprometidos com esta luta eles podem atingir o aproveitamento máximo de suas potencialidades e sentir, como consequência, a alegria que fortalece o coração. Coração forte é capaz de concretizar o Amor em atos que promovem a Paz.A vida lá será mais parecida com a daqui.
       
Mas, Senhor, permita-nos dizer, com esse acontecimento, ninguém será capaz de se deliciar mais do que Vós mesmo: Reinando triunfante, do Trono de Graças, instalado no sítio da Lola, para onde Vossa Majestade atrairá incontável número de almas sedentas de Verdade e Amor. E só o Senhor saberá dizer o prazer que sentirá em saciar uma por uma!
        
O sorriso produzido no rosto de Jesus deixava antever o que virá! Aguardemos.
                                      
                                                                      Rio Pomba, 8 de março de 2008

Sobre seu esposo, José Messias Rosa
        

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Visita ao Santíssimo Sacramento (oração de Santo Afonso Maria de Ligório)




             Meu Senhor Jesus Cristo, que, pelo amor que tendes aos homens, estais dia e noite nesse Sacramento, todo cheio de piedade e de amor, esperando, chamando e recebendo todos os que vêm visitar-Vos; eu creio firmemente que estais presente no Sacramento do altar.            Adoro-Vos desde o abismo do meu nada, e Vos dou graças por todos os favores que tendes concedido, especialmente por me terdes dado a Vós mesmo nesse Sacramento. 


          Por me terdes dado por advogada Vossa Mãe, Maria Santíssima, e por me haverdes chamado a visitar-Vos neste lugar santo. 

Adoro o Vosso amantíssimo Coração, e desejo adorá-lo para três fins: primeiro, em agradecimento por esta tão grande dádiva; segundo, para desagravar-Vos de todas as injúrias que tendes recebido dos vossos inimigos nesse Sacramento; terceiro, porque desejo nesta visita adorar-Vos em todos os lugares da terra, onde Vós estais com menos culto e mais desprezo. 

           Oh! Meu Jesus, eu Vos amo de todo o meu coração; pesa-me de haver tantas vezes ofendido a Vossa infinita bondade; prometo, ajudado pela Vossa graça, emendar-me para o futuro; e agora, miserável como sou, me consagro todo a Vós, e entrego nas Vossas mãos, a minha vontade, os meus afetos, os meus desejos e tudo quanto possuo. 

       De hoje em diante, fazei, Senhor, de mim, o que vos agradar; o que quero e Vos peço é o vosso amor, a perseverança final e a perfeita conformidade com a vossa Santíssima Vontade. 

       Peço-Vos pelas almas do Purgatório, especialmente as mais devotas do Santíssimo Sacramento de minha Mãe Maria Santíssima. Rogo-Vos também pelos pecadores e pelos pobres infiéis.

        Enfim, meu amado Salvador, desejo unir todos os meus afetos e desejos aos do Vosso Sacratíssimo Coração, e, assim unidos, ofereço-os ao Vosso Eterno Pai e Lhe peço, em Vosso nome, que por Vosso amor os aceite. Assim seja.