quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Maravilhosa Loucura





         Quem pode ir mais além do que Deus? Quem, mais que a ressonância magnética, pode escanear o coração humano, perceber e interpretar cada movimento, cada sentimento, e, ao mesmo tempo, ter uma visão total dessa pessoa como um único e precioso ser, e amá-lo como só um Deus pode amar?
        

Só um Deus é capaz de, por uns tempos, se tornar uma criatura e ao mesmo tempo continuar sendo Deus. Fazer isso para ensinar - demonstrando com o próprio exemplo - a cada indivíduo dessa espécie como otimizar a sua existência, ser totalmente feliz e realizado, e por conseqüência, ser causador da felicidade alheia.
        

 Pigmaleão foi capaz de se apaixonar pela sua criatura. Mas só Deus pode inventar um jeito de estar sempre com ela, dando vazão à sua paixão de corpo e alma! Esse jeito é a Eucaristia. 

A festa da Santíssima Trindade, e a proximidade de Corpus Christi, faz-me ver o imenso tesouro pelo qual devo manifestar ao meu Deus Uno e Trino toda a minha alegria e toda ação de graça. Ninguém pode roubar o nosso tesouro! Tesouro genuíno, verdadeiro, cujo valor criatura alguma pode contestar: a confiança no Sagrado Coração, do Deus que se fez homem.          

Mesmo neste tempo de confusão e erro, quando temos todos os motivospara estarmos apavorados, a inefável Presença Divina se faz tão maravilhosamente presente, embora muitos de nós ainda não sejamos capazes de percebê-la. Isso porque os corações andam sintonizados em estações que enfatizam tantos cuidados com o corpo e se esquecem de que temos alma! Só a alma pode perceber a inefabilidade do amor de Deus. Ela é a antena capaz de nos dar a sintonia com esse Deus. Muitos hoje estão com as antenas danificadas, devido à falta de manutenção, e por isso não conseguem sintonizar Deus, acabam pensando que Ele não existe. . .
      
Hoje, em tecnologia, estamos onde não pensaríamos estar, de tão longe! Mas em termos de civilização estamos mais ou menos como nos tempos de Henrique VIII e São Tomás Morus, quando a promiscuidade entre o religioso e político produzia a degeneração das consciências e consequentemente a dos costumes. Alguns que se consideram muito evoluídos, estão na verdade tendo um uma vida muito próxima à vivida pela maioria das pessoas na idade média. A inatividade do espírito - semimorto - e a falta de paradigmas consistentes os obriga a viver guiados pelos próprios instintos e compulsões, como bárbaros, apesar de possuírem grandes conhecimentos em outras áreas.
    
 Mesmo em um mundo assim, cheio de barbaridades, os devotos do Coração de Jesus, especialmente aqui em Rio Pomba, conseguem viver incólumes. É um milagre! Sintonizados com a Verdade, não se deixam levar pelas mentiras que de hora em hora se alternam, cada uma mais dolorosa e com maior pretensão de ser verdade. Os devotos do Coração de Jesus levam a sério a fé que receberam dos antepassados. Conhecem como ninguém, fatos ocorridos, incontestáveis, contados por familiares ou vividos pessoalmente que comprovam como o Coração de Jesus os ama e se interessa por eles. Quer prova maior do que a Lola?
   
  Por isso, volta e meia, em algum lugar de Rio Pomba, tem alguém contando uma graça que alcançou do “Coração de Jesus da Lola”, deduzindo as suas maravilhas, comprovando e agradecendo os exemplos dos que nos antecederam, nas famílias e na fé!
      
 Sempre se ouve comentários das últimas vitórias alcançadas, contadas tão alegremente por Myriam e Severino Vieira: - Lola agora tem o título de Serva de Deus! Sua causa foi aceita prontamente pelo Vaticano! Dois livros divulgando as prerrogativas de nossa conterrânea foram publicados; por elas, esperamos cheios de confiança, que se fique comprovado: Lola chegou ao mais alto lugar que um ser humano pode chegar: à santidade! Logo, logo teremos o nosso livro, escrito pelo historiador de Rio Pomba, Roberto Nogueira.
    
 Uma inexplicável alegria move, de maneira consistente, os devotos do Coração de Jesus. Quem quiser comprovar, observe os semblantes do casal Vieira: alguém já viu alegria mais serena e espontânea? Essa é a moeda com a qual o Coração Jesus paga aqueles que se dispõem a ostentar Sua bandeira. Mesmo quando, às vezes, parece se estar no meio da torcida errada. . . -“Digo-vos, todo o que me reconhecer diante dos homens, também o Filho do homem o reconhecerá diante dos anjos de Deus.” – Luc.11,8 –
    
 Podemos e devemos dar vazão à nossa alegria. Temos muitos motivos para manifestá-la. Principalmente neste mês de junho, o mês do Coração de Jesus! Façamos a novena com toda a devoção, para que Ele conceda, a cada rio-pombense e seus descendentes - onde quer que estejam – o que sempre concedeu à Lola: a antena da alma cada vez mais possante, capaz de perceber todas as verdades pelas quais somos alvos do ansioso Amor do Deus Todo Poderoso, que foi capaz de, por causa de cada um de nós em particular, cometer a loucura da Eucaristia. Ele pode, Ele é Deus!


giselle neves moreira de aguiar,
Festa da Santíssima Trindade de 2006
Publicado no Jornal "O Imparcial " na mesma data.


                       

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Lola - Breve história da vida


Declaramos que nos submetemos ao decreto do Papa Urbano VIII, no que se refere às Causas dos Santos.
Fazemos uso dos efeitos da intervenção do Papa Paulo VI em AAS58 (1966) 1186 do Código do Direito Canônico com ab-rogação dos cânones 1399 e 2318.
Assim, os escritos referentes a novas aparições, manifestações, milagres, etc., podem ser divulgados e lidos pelos fiéis sem a licença expressa da autoridade eclesiástica, contando que se observe a moral cristã geral.





A Serva de Deus Floripes Dornelas de Jesus era mais conhecida como Lola. Nasceu em Mercês, Minas Gerais, em vinte e sete de junho de mil novecentos e doze.
Por volta dos quatro anos de idade, mudou-se com sua família para uma cidade próxima, Rio Pomba, onde cresceu e se transformou numa jovem “filha de Maria” (pertencia a Pia União das filhas de Maria) que, desde muito cedo, usou de sua perspicácia inata para saber que as riquezas espirituais são muitíssimo reais e infinitamente mais valiosas do que todo o somatório das riquezas materiais.

             Aproximadamente aos dezoito anos, caiu de um pé de jabuticaba, vindo a ficar paralítica. Ao invés de se tornar depressiva e revoltada por se ver excluída de muitos prazeres da juventude, acreditava que aquela era a condição permitida por Deus para que gozasse de alegrias maiores do que as proporcionadas pela natureza humana.
 Considerava que era muitíssimo melhor esperar e confiar na expectativa de Deus do que na sua própria.
Era assim que se exercitava, dia a dia, para estreitar o seu relacionamento com Deus. E quanto mais o fazia, menos necessidades materiais tinha, a ponto de não precisar mais de alimento ou de água; tinha como único alimento para o corpo e para alma, o próprio Deus na Eucaristia.                           
Viveu cerca de sessenta e cinco anos tendo como único alimento a sagrada Eucaristia. Também não tinha necessidade do sono.
Sofreu ao constatar isso, principalmente ao ver o sofrimento de seus familiares, especialmente o de sua mãe, por causa de sua rejeição ao alimento. Pensavam que fosse morrer. Ela também pensava que isso fosse acontecer, mas o que aconteceu foi justamente o contrário.        Sua vivacidade e perspicácia aumentavam substancialmente, e ela passou a ajudar a muitas pessoas, que vinham à sua casa para pedir suas orações e suas palavras de sabedoria e de conforto.

            Com o passar do tempo, o número de visitas passou a aumentar constantemente, chegando mesmo a se formarem romarias. Ela quase não tinha mais tempo para estar a sós com o Coração de Jesus, alvo de todo o seu amor e devoção. Sua irmã Dorvina, também considerada detentora de grandes virtudes, recebia da Providência Divina os meios para oferecer café e bolo a todos os visitantes que vinham, muitas vezes, de longe, em carrocerias de caminhões lotados de pessoas.

           Por ordem do então Arcebispo, Dom Oscar de Oliveira, Lola, como era conhecida Floripes, deixou de receber os peregrinos. Tornou-se então enclausurada, adoradora do Santíssimo Sacramento, porque recebera autorização formal de Dom Oscar para que o Santíssimo Sacramento ficasse num sacrário, em um pequeno altar colocado em seu quarto.
 Entretanto, se não recebia mais romeiros, inúmeros eram os bilhetes com pedidos de orações, aos quais respondia com recados de esperança e conforto, nas providências do amor e poder do Coração de Jesus.  Enviava com cada resposta um livrinho devocionário geralmente acompanhado de uma medalha ou um terço.

            Tinha imensa alegria em presentear as pessoas com imagens do Coração de Jesus. Para isso se empenhava na administração da sua pequena produção de leite com a qual adquiria proventos para custear suas despesas de devoção.

Passava quase todo o seu tempo em oração pela conversão dos pecadores, pelos sacerdotes e religiosos e também por todas as necessidades das quais tomava conhecimento.
Embora vivendo reclusa em sua propriedade rural, sempre participou ativamente da vida da cidade. Foi sempre grande responsável pelo incontável número de adeptos do Apostolado da Oração e, principalmente, pela fundação do Apostolado masculino, que aconteceu por diligências sua. Gozava do respeito e consideração de todos, em especial dos sacerdotes que, às vezes, vinham de longe, para pedir suas orações e ter a alegria de celebrar uma Santa Missa no altar de “quarto-santuário.”.

Esta abençoada criatura de Deus marcou a vida de inúmeras pessoas. Não foram raras as vezes que pessoas saíam de profundo estado de sofrimento físico, mental ou espiritual para um estado de produtiva alegria, por terem sido agraciadas pelas bênçãos de Deus, recebidas através de suas orações.

Ela sempre dizia que não era necessário pedir as suas orações, bastava pedir diretamente ao Sagrado Coração de Jesus, porque Ele está sempre ansioso para atender as necessidades daqueles pelos quais deu vida e continua a espera deles em contínuo plantão em todos os Sacrários. É Deus onipresente.
 Só é preciso ter consciência da Sua Presença junto de nós. Ele sempre quer muito a nossa atenção. O Deus Todo Poderoso quis precisar de nós. Ele encontra Sua alegria em conviver conosco. Por isso quis ficar eternamente à nossa disposição no Santíssimo Sacramento: como um “Rei carente da companhia de seus súditos”.

Toda a vida de Lola foi vivida em função de atender a esse apelo do Sagrado Coração Eucarístico de Jesus.
 Fez sempre tudo o que estava ao alcance de seus limites (tão grandes) para que o maior número possível de pessoas pudesse conhecê-Lo e, portanto, amá-Lo.  Acreditava que quanto maior esse número de pessoas conscientes da Verdade do Amor de Deus, maior o número de pessoas saciadas em todos os aspectos da vida.  Pois, não há problema, em qualquer instância, que o Amor Todo Poderoso não possa, com todo o gosto, sanar. Pessoas saciadas são pessoas inteiras, abençoadas, felizes. São assim os habitantes do Reino de Deus, pelo qual todo batizado deve e precisa lutar.
Faleceu em odor de santidade em 09 de abril de 1999, quando milhares de pessoas acorreram  ao velório e sepultamento. Seu funeral foi noticiado em nos telejornais do país no dia 10/04/1999. Tratava-se de uma pessoa considerada santa por todos os que, de alguma forma, tiveram contato com ela.

Para a Glória de Deus, e nossa alegria, a Congregação das Causas dos Santos, no Vaticano, em Roma, concedeu o status de NULLA OSTA (nenhum obstáculo) Para o andamento do processo de Floripes Dornellas de Jesus; assim sendo, nossa Lola recebe o  título de Serva de Deus.

Pedimos suas orações para que sua beatificação, cujo processo foi aberto em 01 de julho de 2005 por Dom Luciano Mendes de Almeida, então Arcebispo de Mariana, aconteça o mais breve possível.

 A quem alcançar graças por sua intercessão pedimos que as comunique à:                   
  
Cúria Arquidiocesana  - Caixa Posta 13
                       Mariana MG.   -   CEP:  35 420 000



Mais posts sobre Lola, a Serva de Deus, Floripes Dornelas de Jesus:
Breve história de sua vida:
Santidade anunciada e publicada desde 1955:
Oração pela beatificação:
Vídeo de Programa da Rede Vida de Televisão com entrevista dos sacerdotes e médicos testemunhando a santidade de Lola:

Lola, Serva de Deus Floripes, vídeo do Youtube

Uma página sobre a Lola:
O povo festejando a memória de Lola:
Feriado municipal pelo "Dia da Lola"
Rua com nome de Lola
Problemas políticos atingindo a religião:
Conexões entre ativismo político e a religiosidade;
Beatificações, alegrias e dores
Artigo de Roberto Nogueira, autor do livro: O Sagrado Coração da Lola, a Santa de Rio Pomba:
Trabalho de leigos pela preservação dos valores espirituais, pelo uso do patrimônio material deixado por Lola de acordo com sua vida, seus valores  e espiritualidade: 

Mais uma tentativa de golpe à memória da Lola: